quarta-feira, 13 de setembro de 2017

Empreendedorismo: Da infância simples na cidade de Capitão Leônidas Marques, no Paraná, até a construção de um império de estofados e colchões



Presidente da rede Anjos Colchões começou do zero, perdeu tudo em um incêndio e deu a volta por cima construindo uma rede de franquias de 54 unidades e três plantas fabris



Claudinei dos Anjos, fundador da rede de franquias Anjos Colchões, possui uma história de empreendedorismo surpreendente. Filho de um humilde vendedor de cereais no interior do Paraná, Claudinei superou até um incêndio para hoje ser um empresário de sucesso.

Mesmo com poucos recursos, seus pais faziam questão que os 4 filhos estudassem em colégio particular na cidade vizinha de Cascavel, para que pudessem ter uma vida mais confortável, pois o sonho do seu pai era que seus filhos fossem Gerentes de Banco.

Em 1991, com 20 anos de idade e já casado, Claudinei montou seu primeiro negócios: uma loja de estofados onde trabalhava com apenas 4 funcionários. "A gente não conseguia vender, na época precisava comprar uma furadeira e nem pra isso tinha crédito. Mas eu acreditava nos meus sonhos e persisti", diz Claudinei.

Aos poucos os negócios começaram a engrenar. De um barracão que pagava para usar, Claudinei fez todo um parque fabril e começou a ganhar notoriedade, de uma loja o empresário já tinha sua primeira fábrica de estofados.

Com os negócios já estabelecidos, a fábrica de estofados sofreu um incêndio de grandes proporções e nada sobrou. O empresário viu tudo se perder em chamas, literalmente. Muito abalado, neste momento, o empresário pensou que talvez fosse a hora de desistir. Por sorte, foi só um pensamento. "Quando ocorreu o incêndio, eu tinha alguns caminhões. Pensei em vender, pagar todas as contas e desistir. Mas, ao mesmo tempo, eu vi que tinha construído tudo aquilo", afirma. O próximo passo foi deixar de lamentar e procurar soluções. Pediu uma “concordata branca”, como ele mesmo define, entrou em acordo com as companhias para que elas não deixassem de fornecer matéria-prima e solicitou prazos para o pagamento das mesmas. 

Em dois anos, as dívidas foram zeradas e foi assim que reencontrou o caminho do sucesso. 

Depois de zerar as dívidas, era necessário voltar a lucrar. Além de começar a fazer linhas mais altas de sofás, Claudinei viu a possibilidade de aumentar os ganhos por meio da expansão dos negócios. Com a criação da rede Anjos Colchões e da D Angelis Indústria Móbili, o empresário formou o grupo Anjos do Brasil, que hoje emprega mais de 700 funcionários diretos na produção de estofados e colchões. Além disso, desde 2007, a Anjos Colchões foi aberta para franquias, contando hoje com 54 unidades espalhadas pelo Brasil. 

A Anjos Colchões é uma empresa 100% nacional que conta hoje com um complexo fabril de 27.000 m2 de área construída, num terreno de 73.000 m2.


Nenhum comentário:

Postar um comentário