terça-feira, 26 de abril de 2016

Bolsinho de silicone promete ser a nova febre para celulares

Criado para transformar o celular em carteira, o acessório promete praticidade para o usuário


Um bolsinho acoplado ao celular promete se tornar a nova febre entre os acessórios para celulares e tablets. O Smart Pocket é um produto que a i2GO – marca de acessórios essenciais para celulares - traz com exclusividade para o Brasil e lança neste mês em todos os seus mais de 3700 mil pontos de vendas espalhados no país. 

Feito de silicone flexível e com cores variadas, o simpático bolsinho serve como um porta cartões, dinheiro e documentos que podem ser acoplados na parte de trás do celular. “Ele é excelente para quando vamos sair para almoçar ou ir na academia, sem levar a bolsa ou a carteira”, explica Marcelo Castro, sócio da i2GO.

O Smart Pocket começa a ser vendido nesse mês, vem em 5 diferentes cores (azul, amarelo, rosa, cinza e preto) tem capacidade para até três cartões e algumas notas de dinheiro. O adesivo que fixa o bolsinho no celular não deixa marcas no aparelho. Cada Smart Pocket custa R$ 29,90 e pode ser encontrado em todos os displays de venda da i2GO e também nas máquinas instaladas em estações de metrô e aeroportos.

Os produtos da i2GO podem ser encontrados em lojas de conveniência das maiores redes de postos de gasolina, nos principais supermercados, livrarias em todo o Brasil e  nas máquinas de vending machines próprias.  Entre o mix de produtos estão cabos certificados pela Apple, como a nova linha Pro, que são cabos USB/Carregadores exclusivos para iPhone, carregadores de celular em geral, fones de ouvido, suportes veiculares, tomadas USB, baterias externas e outros.

Para visualizar melhor os produtos e displays da i2GO, acesse o vídeo: https://copy.com/YPophvOFpvccb4Rz


segunda-feira, 25 de abril de 2016

Mr Kids tem 17 pontos comerciais negociados e já aprovados em Minas Gerais para novos franqueados

Microfranquia tem contratos com as maiores redes de hipermercados em todo o Brasil para instalação imediata das máquinas de doces e brinquedos
 


A microfranquia de máquinas de brinquedos e doces Mr Kids tem 17 pontos disponíveis em Minas Gerais para quem deseja abrir uma franquia. São 8 cidades mineiras com pontos já negociados pela franqueadora em hipermercados como o Wall Mart, Extra, Carrefour, Socicam e Aeroportos. A negociação permite que os franqueados possam ter disponibilidade praticamente imediata para a instalação das máquinas de doces e brinquedos, logo depois da assinatura do contrato de franquia. Em todo o Brasil, são mais de 800 pontos disponíveis.

Para facilitar a compra da franquia e atrair mais candidatos, a franqueadora também está facilitando o pagamento, mesmo com um investimento considerado baixo, que é de R$ 18,5 mil. “Essa iniciativa é para que os nossos novos franqueados ganhem fôlego nos primeiros meses do negócio, já que a maioria de nossos candidatos são pessoas que estão ávidas por um novo negócio, principalmente com a atual conjuntura que todo brasileiro está vivendo. Cobramos a Taxa de Franquia à vista, que é de R$ 8 mil e o restante após o recebimento da ficha de pré-qualificação e análise de crédito. O franqueado poderá pagar o restante em até 5 vezes no boleto ou em 6 vezes no cartão”, explica Antonio Chiarizzi, fundador da Mr. Kids.

O Mr. Kids possui 115 franquias e 6.200 máquinas espalhadas por diversos pontos de venda. No ano passado, a rede faturou R$ 3,2 milhões e a meta para 2016 é a venda de 50 novas franquias e um crescimento de 40%.

Mr. Kids – Ficha Técnica
Investimento Total: R$ 18,5 mil
Taxa de Franquia: R$ 8 mil
Taxa de Royalties: não cobra
Taxa de Propaganda: não cobra
Faturamento médio mensal: de R$ 1.600,00 a R$ 30 mil ou mais
Lucratividade: de 35 a 40%
Número de Funcionários: 0
Retorno do Investimento: 15 a 18 meses
Prazo do contrato: 3 anos
Contato da Franqueadora: franquia@mrkids.com.br ou 11 5058-2111

quarta-feira, 20 de abril de 2016

Franquia chave na mão proporciona redução de investimento e facilita a vida do novo franqueado


Ao buscar investidores imobiliários, Ortodontic Center reduziu o investimento inicial dos novos franqueados de R$500 mil para R$71 mil


Com 150 unidades em operação, a Ortodontic Center reformula sua operação para continuar em ritmo acelerado de expansão. Entre as principais mudanças na rede está a entrada de investidores imobiliários, que vão permitir a redução do investimento por parte dos novos franqueados, já que cerca de 80% de todo o investimento de uma franquia estão direcionados ao imóvel (aluguel, reforma e instalações). Com a entrada de investidores, os novos franqueados só terão as despesas iniciais com a Taxa de Franquia e os materiais iniciais para começar a trabalhar com a Ortodontia.

Uma outra grande vantagem de uma operação Chave na Mão – quando o franqueado recebe a loja pronta para operar - está no tempo que se leva para montar cada nova unidade. Se antes esse período de montagem podia chegar em até 180 dias, hoje todo o processo é efetuado em 35 dias. Nesse período, enquanto o investidor imobiliário se encarrega com a franqueadora da montagem da unidade, o novo franqueado passa por um treinamento intenso para aprender tudo sobre o negócio que começará a tocar em breve. No final dos 35 dias, a unidade está pronta para operar.

O tamanho das clínicas também foi reajustado para garantir menores despesas com o imóvel e maior produtividade para os franqueados. As lojas que antes possuíam até 600m², hoje têm  100 m² distribuídos em recepção, 4 cadeiras de dentistas, sala de fechamento de contrato e escritório.  São fechados pelo menos 100 novos contratos todos os meses em cada unidade. “A loja ficou mais eficiente com a nova arquitetura e mais rentável também”, comenta Fernando Massi, franqueador.

A escolha pelos pontos onde as Unidades serão instaladas também sofreu alterações. Por meio de um estudo de geoprocessamento, foram mapeadas áreas de interesse que possuem 100  mil habitantes das classes B2, C e D e que provêem até 7 mil clientes para o franqueado ao longo de 10 anos de unidade. Ou seja, a Ortodontic Center só instala suas Clínicas em locais previamente estudados e que garantam o número de clientes necessários para o sucesso do negócio.

Em 2015,, foram 47 franquias comercializadas e 55 inauguradas. Com isso, a Ortodontic Center, que contabilizou um faturamento de R$ 81,5 milhões em 2014, apresentou um crescimento de 16% em 2015. Segundo Fernando Massi, a empresa está ainda mais confiante para 2016. “Este ano, além das 47 unidades já comercializadas que iremos inaugurar, pretendemos vender mais  28 28 novas franquias e aumentar nosso faturamento em 59%”, explica.

Ortodontic Center - Ficha Técnica:
Investimento total: R$ 71 mil
Taxa de Franquia: R$ 65 mil
Capital de Giro: R$ 120 mil
Taxa de Royalties: 10% sobre o faturamento bruto
Taxa de Propaganda: 2% sobre o faturamento bruto
Faturamento médio mensal: R$ 200 mil
Ticket Médio: R$ 80,00
Lucratividade: 20%
Metragem: 100m²
Número de funcionários: 5 contratados e 2 dentistas profissionais liberais
Prazo de Contrato: 10 anos

terça-feira, 19 de abril de 2016

Dídio Pizza cresce 19% e lança aplicativo próprio

O aplicativo DIDIO PIZZA chega para as plataformas IOS e Android e traz novidades na hora de pedir pizza
 
 
A meta desse ano da rede de franquias de pizzarias delivery Dídio Pizza é vender 770 mil pizzas e para agilizar ainda mais esse processo, a empresa acaba de lançar seu próprio aplicativo DIDIO PIZZA, smartphones e tablets oficial da rede.
   
No novo aplicativo, o cliente pode escolher e pedir todas as pizzas do cardápio, passar na loja para buscar a pizza ou aguardar a entrega, que será feita pela pizzaria da rede mais próxima do CEP informado com a máxima comodidade e o padrão de qualidade 30 minutos. A forma de pagamento é o cartão de crédito e o menu está organizado entre pizzas salgadas, doces, lights e bebidas, além de uma aba especial de promoções.

Segundo Elídio Biazini, proprietário e fundador da Dídio Pizza, o grande desafio este ano é oferecer todos os canais para compras possíveis ao consumidor. “Além dos já existentes, como o nosso próprio site, facebook e Central Única de Atendimento, que recebe os pedidos para toda a rede, lançamos nosso próprio aplicativo para vendas delivery e vamos nos consolidar como a rede de pizzarias mais online do país. Essa é a meta”, explica o empresário.

O investimento no novo aplicativo foi de R$ 70mil e a expectativa é de 40% dos pedidos da rede sejam feitos através da plataforma no prazo de um ano. Todos os clientes ganham 10% de desconto no primeiro pedido pela plataforma. Ainda neste mês, a Dídio Pizza lançará o Programa de Valorização do Cliente (Fidelidade) para que  clientes fiéis recebam recompensas, sempre monitoradas pela plataforma on line. 

Mais sobre a Dídio Pizza
A rede de franquias de pizzarias delivery Dídio Pizza vendeu 600 mil pizzas em 2015 e fechou o ano com um faturamento de R$ 30 milhões. Para 2016, estão previstas mais 8 lojas no Estado de São Paulo e a previsão é chegar a dezembro com 770 mil pizzas vendidas e um crescimento de 28% no faturamento. O plano de expansão da Dídio Pizza este ano inclui, além de diversos bairros da capital paulista, cidades próximas como Guarulhos, Paulínia, Americana, Piracicaba, Sorocaba, Mogi das Cruzes, Santos, entre outras.


DÍDIO PIZZA – ficha técnica
- Investimento inicial: R$ 350 mil
- Capital de Giro (incluso no investimento inicial): R$ 30 mil
- Taxa de franquia (inclusa no investimento inicial): R$ 45 mil
- Taxa de royalties 9% sobre Faturamento Bruto
- Taxa de Propaganda: 2% sobre Faturamento Bruto
- Faturamento médio mensal de uma loja: R$ 70 mil no primeiro ano
- Metragem mínima de uma loja: 85m²
- Lucratividade do franqueado: Média de 12%
- Retorno do investimento: 27 meses
- Número de funcionários por loja: 11 funcionários
- Tempo de contrato: 4 anos
Mais informações: www.didio.com.br

quinta-feira, 14 de abril de 2016

Festival de bordas de Catupiry® sabores na Dídio Pizza



Parceria com a Catupiry® traz lançamento de bordas recheadas até junho

A DÍDIO PIZZA – tradicional rede de franquias de pizzarias delivery – acaba de lançar o Festival de Bordas em parceria com a Catupiry®. Até o mês de junho, todas as pizzas do cardápio podem ser pedidas com bordas recheadas com os novos sabores: catupiry®4 queijos, catupiry®tomate seco e catupiry®alho poró), acrescentando apenas R$ 7,00 ao preço normal do cardápio.

Os pedidos podem ser feitos on line pelo site (www.didio.com.br), ou utilizando o Aplicativo “Didio Pizza” disponível para celulares e tablets.

 Conhecida por lançar sabores inusitados com os melhores ingredientes, através de parceria com grandes fornecedores (como a pizza de creme de maracujá, cheesecake e a linha de pizzas light), a Dídio Pizza aposta na fidelização de clientes e está sempre inovando e oferecendo promoções e lançamentos variados, inclusive com pedidos pré agendados a partir das 17.00hs para o dia e horário de  preferência do cliente. São 26 lojas espalhadas pela Capital Paulista, Grande São Paulo e Interior, que funcionam sempre a partir das 18h00.


terça-feira, 12 de abril de 2016

Parceria com o Banco Santander permite obter até 50% do financiamento de uma franquia da Doctor Feet


Foco no crescimento acelerado em 2016, a rede de franquias também negociou com fornecedores para o parcelamento do investimento em até 4 parcelas sem juros
 

A Doctor Feet – A mais ampla rede de franquias de podologia e produtos ortopédicos com mais de 80 unidades espalhadas pelo país, acaba de firmar uma parceria com o banco Santander para a concessão de financiamento de até 50% do investimento inicial de uma franquia para os interessados ter seu próprio negócio. Com isso, os candidatos à franquia da rede, depois do seu perfil aprovado e pré-contrato assinado, precisarão disponibilizar o valor de R$ 150 mil para completar o investimento total.
 
Após a aprovação do candidato a franqueado e assinatura do pré-contrato, caso o interessado queira financiar parte do investimento, a própria franqueadora encaminha ao banco Santander a proposta de crédito para aprovação. A parceria também permite o pagamento em 48 meses, com uma carência de 6 meses. “Essa carência é de extrema importância nesta parceria, pois é justamente no primeiro semestre que o novo franqueado precisa de fôlego nas despesas iniciais”, explica Denoel Eller, CEO da Doctor Feet.

Outro formato implementado, visando facilitar a expansão, foi a negociação com fornecedores para o parcelamento do investimento em até 4 parcelas sem juros   
 

A outra alternativa para contribuir ainda mais com os novos parceiros que desejam ter uma franquia da Doctor Feet neste momento de crise, é o parcelamento do investimento total de R$ 300 mil em até 4 meses sem juros, tempo que na maioria das vezes uma loja leva para ficar pronta, devido a obras e reformas em pontos de shopping centers. “Isso possibilita que ele não perca os dividendos de quantias aplicadas, ou tenha tempo, por exemplo, para a venda de imóveis ou veículos que farão parte do investimento total”, conclui Denoel.
 
O plano de expansão da Doctor Feet contempla diversas cidades brasileiras e, dentre as prioridades, estão os Estados do Paraná, Santa Catarina, São Paulo e Minas Gerais.     Com 18 anos de mercado, a Doctor Feet faturou R$ 48 milhões no ano passado. Cada loja da rede possui um faturamento médio de R$ 85 mil, com uma rentabilidade de 20%.

Os serviços da Doctor Feet
Os serviços de podologia são os preventivos e corretivos. Dentre eles, há o Tratamento Tradicional (que inclui o corte técnico das unhas, remoção de calos e calosidade e massagem relaxante), Reflexologia, Hidratação com parafina, Aplicação de Órteses, Aplicação de Fototerapia, Tratamento para Olho de Peixe, Calos Infeccionados, entre outros, além do mais recente: a Argiloterapia. Há também os serviços de manicure, onde a profissional adota os mesmos cuidados no manuseio do material, que passa primeiro pela cuba ultrassônica, que faz a desincrustação e depois é esterilizado em auto-clave. Preocupada em atender 100% das normas da Vigilância Sanitária, a Doctor Feet utiliza em suas cabines individuais de atendimento o mesmo piso de centros cirúrgicos, além de cabines maiores para pacientes com necessidades especiais. As lojas também contam com um mix de produtos médicos, ortopédicos e estéticos, todos registrados e homologados pelo Ministério da Saúde, que servem como coadjuvantes nos tratamentos de podologia.

Doctor Feet – Ficha Técnica
Investimento total (fora o ponto, incluindo a Taxa de Franquia): R$ 300 mil
Capital de Giro: R$ 30 mil
Taxa de Franquia: R$ 62 mil
Taxa de Royalties: 5% sobre o faturamento bruto
Taxa de Propaganda: R$ 2,5% sobre o faturamento bruto
Metragem das lojas: 30 a 60m²
Faturamento médio: R$ 85 mil
Ticket Médio: R$ 95,00
Retorno do Investimento: 24 a 36 meses
Número de funcionários por loja: cerca de 12
Tempo de contrato: 120 meses
Informações sobre a franquia: www.doctorfeet.net

Outer Shoes planta quase 2 mil árvores como resultado da campanha de vendas do ano passado

Rede de franquias de calçados cumpre promessa da campanha de vendas da Coleção Verde: a cada par de sapato vendido, uma muda de árvore plantada
 


A Outer Shoes – rede de franquias de calçados masculinos e femininos com estilo alternativo – acaba de finalizar o plantio de 1950 mudas de árvores nativas, conforme o prometido em setembro do ano passado, quando a rede se comprometeu a plantar uma muda para cada sapato da mini Coleção Verde vendido em todo o país.

Conforme Filipe Lamim, diretor de expansão da Outer Shoes, as mudas foram plantadas na Fazenda São José, localizada entre as cidades de Sales e Irapuã - SP. As espécies plantadas são nativas da Mata Atlântica e foram escolhidas por atenderem a demanda de diversidade necessária pedida pelos projetos de restauração florestal. Outro detalhe importante para a escolha das mudas diz respeito à sazonalidade das espécies.

Entre as espécies escolhidas estão mudas de Figueira, Jacarandá de Minas, Jacarandá Mimoso, Paineira Rosa, Pitanga, Araçá Vermelho, Maricá, Canafístula, Gurucaia, Tucaneiro, Dedaleiro, Timburi, Ipê Verde, Ipê Branco, Ipê Amarelo e Pata de Vaca. Já entre os benefícios desta ação promovida pela Outer Shoes estão a melhoria da qualidade da água (balneabilidade e irrigação agrícola), a neutralização de CO2, - redução da compactação e o aumento no armazenamento dos lençóis freáticos, entre tantos outros.

 
Conheça um pouco mais da Outer Shoes
Com lojas sofisticadas, porém com elementos simples e da natureza que remetem ao conceito de um “jardim urbano”, a Outer Shoes está se posicionando como uma franquia sem concorrência no mercado e conquistando um público fiel, que abre mão do bom gosto pessoal e do conforto, sem ter que seguir a moda preestabelecida pelas tendências mundiais.

Com 21 lojas (Belo Horizonte, Brasília, Curitiba, Goiânia, João Pessoa, Niterói, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro e São Paulo), a Outer. pretende trazer ao mercado um crescimento sólido, embasado no sucesso que os franqueados vem alcançando. As lojas são compactas, a partir de 30m², com faturamento médio de R$ 150 mil ao mês e lucratividade que chega a 14% para o franqueado.


quinta-feira, 7 de abril de 2016

Corte de custos é a solução para diminuir a falência das pequenas e médias empresas


Especialista dá dicas de como preservar a saúde financeira das empresas em período de recessão

    Com tantas empresas fechando as portas nos últimos tempos, como é possível recuperar o caixa antes que isso aconteça sem precisar mexer na folha de pagamento? A resposta é simples e a solução pode estar bem debaixo do nariz: corte de custos e renegociação com fornecedores dos mais variados tipos. Mas como e por onde começar e alcançar resultados significativos que sejam impactantes nos números das empresas?

    Para o especialista em redução de custos, Fernando Macedo, da consultoria ERA – Expense Reduction Analysts, são ações simples as que geram maiores resultados, como a análise minuciosa de contratos e custos com fornecedores diversos. “Muitos empresários acreditam que para sair da crise, a solução é o aumento das vendas e, se elas não ocorrem, eles não veem alternativas e acabam recorrendo às recuperações judiciais. Mas todas as reduções de custos podem ser revertidas diretamente em lucro”, explica Macedo.

    Algumas dicas básicas para decisões ainda no primeiro semestre de 2016, segundo o consultor, para reduzir custos e aumentar o caixa das empresas, são as seguintes:

1-    Fornecedores preferidos podem não ter mais os melhores custos: mas não adianta partir simplesmente para a velha mania de simplesmente fazer 3 novas cotações de preços. Às vezes, o problema pode estar nas pessoas da empresa que estão acostumadas a lidar com os mesmos fornecedores. Faça um rodízio entre as pessoas que costumam cotar preços e desconfie caso haja resistência na mudança, pois talvez exista algo a mais por trás das negociações.

2-    Centralize o departamento de compras: é sempre possível reduzir custos com compras cooperadas de todos os departamentos da empresa. As compras picadas sempre saem mais caro.


3-    Reutilização da água: reduzir custos com a conta de água também é possível sem precisar de altos investimentos. Além de contribuir para não faltar, os custos podem ter grande redução, com sistemas de reuso e captação de água.

4-    Energia mais barata: inicialmente é preciso fazer um investimento para a instalação de sensores de presença e células fotoelétricas que liberarão energia somente se alguém estiver naquele ambiente. Mas, a longo prazo, a economia com a conta de luz é altamente significativa.
5-    Limpeza: Nem sempre a contratação terceirizada da limpeza da empresa é um bom negócio. Existem fornecedores que fazem uma melhor adequação das necessidades de horários, turnos e pessoal que acabam fazendo uma enorme diferença.

6-    Telecomunicações: Sabe aqueles pacotes promocionais, que incluem planos de minutos, com internet e outros benefícios? Nem sempre eles são os mais econômicos dependendo da necessidade da empresa. Segundo o especialista, esta é a questão mais difícil de adequar numa empresa. Muitas vezes, os diretores têm um plano melhor, mas são os vendedores que gastam mais em telefonia e possuem planos inferiores.


7-    Cafezinho: Não é porque é considerado um item de baixo custo, que o cafezinho diário das empresas não tenha que ser reavaliado. Compras de materiais descartáveis para o café, ao longo do ano, podem pesar no orçamento se não houver um planejamento com fornecedores para cada departamento. Há soluções práticas e simples, como a compra cooperada de outros itens de materiais de escritório, por exemplo.

    Fernando Macedo também orienta as empresas a diminuir os custos, mesmo que seja em situações específicas e peculiares de cada negócio, como custos com transporte e logística, cozinha industrial e refeitório para colaboradores, combustível para a frota de automóveis e outros. “Sempre pode haver reduções com um bom planejamento e elas refletem sempre no aumento do lucro”, completa ele.


segunda-feira, 4 de abril de 2016

Alguns resultados de divulgações para clientes durante a Feira da ABF


Em 2015
Nossos clientes Mr. Kids e Clínica Vanessa Silveira foram destaque em diversas matérias, tanto antes do evento, como em entrevistas nos stands durante a feira. Confira alguns deles: 











Todos os anos, nossos clientes estão presentes em matérias antes, durante e pós Feira de Franquias. 

O nosso desafio é melhorar a cada ano, buscando a excelência dos nossos trabalhos e a satisfação dos nossos clientes.












 

Setor de Alimentação Especializada foi o que mais gerou empregos no ano de 2015

O setor de Saúde & Beleza foi o que mais cresceu no Franchising brasileiro em 2015, mas o setor de Alimentação Especializada foi o que mais gerou empregos, quase 18 mil vagas

 
   Apesar do setor de Saúde & Beleza ter sido o que mais cresceu no ano de 2015, foi o Setor de Alimentação Especializada o que mais gerou empregos no Franchising. O levantamento foi feito pela consultoria Rizzo Franchise. No setor de Alimentação Especializada, que empregou no ano passado 17.800 trabalhadores, estão todas as franquias dos ramos de bebidas, chocolates, churrascaria, crepes, sucos, dietéticos, doces, salgados, empórios, frozen e sorvetes. O número de empregos gerados neste setor, pela primeira vez, ultrapassou o número contabilizado pelo setor de Fast Food.

    Um exemplo deste crescimento é o Mr Cheney – rede de franquias de cookies e outras delícias tipicamente americanas, que comemora o crescimento da rede na contramão da crise. De 3 anos para cá, a empresa gerou em torno de 500 empregos diretos e indiretos, entre os 56 pontos de venda e a fábrica, instalada na capital paulista. No ano passado, a rede faturou R$ 10 milhões a mais do que o ano anterior.

    Segundo Lindolfo Paiva, proprietário da Mr. Cheney, o crescimento era esperado, mas as cifras surpreenderam. “Passamos muito tempo estudando e planejando nossa expansão para que ela fosse o mais profissional possível. Com a inauguração da fábrica, ganhamos ainda mais escala na produção de cookies e, com a expansão mais acelerada, novas oportunidades de empregos foram geradas”, explica.

    Outro ponto bastante positivo para a rede foi a entrada em shoppings e pontos inusitados como em universidades, que deram ainda mais visibilidade à marca, como os shoppings Morumbi, Anália Franco, Pátio Paulista e em universidades como a FMU – Liberdade e Mackenzie, entre outros em São Paulo, além do aeroporto internacional de Guarulhos e shoppings importantes de outras cidades, como Rio de Janeiro, Curitiba, Brasília, São Luís e interior de São Paulo.

    Para 2016, a meta continua bastante agressiva: serão mais de 40 lojas em várias localidades do país e a chegada a cidades onde a rede ainda não está e diversas outras do interior paulista. “Nossa previsão para este ano é repetir o sucesso do ano passado e alcançar um crescimento de 120%, completa Lindolfo.


FRANQUIA MR CHENEY – Ficha técnica:
Investimento total (com a Taxa de Franquia incluída): R$ 200 mil a R$ 400 mil
Capital de Giro: R$ 15 mil
Taxa de Franquia: R$ 43 mil
Taxa de Royalties: 5% sobre o faturamento bruto
Metragem média das unidades: de 20 a 35 m²
Faturamento médio mensal: R$ 45 mil
Lucratividade: entre 12% e 25%
Prazo de contrato: 5 anos
Contato: www.mrcheney.com.br