quarta-feira, 24 de junho de 2015

Como aproveitar melhor a Feira de Franquias


Na quarta-feira, dia 24 de Junho e até o dia 27 de Junho, acontece em São Paulo a ABF Expo 2015.
Para ter um melhor aproveitamento durante a visita, o especialista Marcus Rizzo, da Rizzo Franchise, preparou algumas dicas para tornar a visita ao evento mais produtiva e sem perdas de tempo:



Passo 1 – Preparando‐se para o evento
A) Decida que tipos de negócios mais lhe atraem
Uma boa franquia para você escolher é aquela que está dentro de um setor ou ramo de atividade que mais se identifica com você. Sendo assim, se você é apaixonado, por exemplo, por carros, pode facilmente ser atraído por franquias como oficinas mecânicas, postos de combustíveis, locadoras ou concessionárias de automóveis, etc.

B) Prepare‐se para ir a um evento de negócios
Deixe o traje esportivo de lado e vista‐se para uma ocasião de negócios, ainda que de forma casual. Deixe as crianças em casa e não se esqueça de levar cartões de visita e uma pasta para coletar informações das franquias de seu interesse.

Passo 2 – Como desenvolver um plano para a feira
A) Planeje sua ida nos primeiros dias
Normalmente, a feira de franquias acontece de quarta‐feira a sábado, sempre no período da tarde e à noite, mas sexta‐feira e sábado são os dias mais concorridos e todos estão muito cansados. É no início que as pessoas estão mais animadas nos stands para um melhor atendimento.

B) Avalie com calma a localização dos stands
Quando chegar ao local, logo após efetuar a inscrição, tire alguns minutos para analisar o folder do evento. Tome um café com calma e faça uma primeira avaliação das empresas que estão presentes, localizando‐as previamente na planta que é oferecida. Selecione, então, aquelas que mais se identificam com o seu interesse.

C) Percorra a feira com método
Priorize a visita aos stands dos negócios que você tem interesse e não subestime o tempo necessário para cada stand. O ideal é que cada visita, inicialmente, não ultrapasse 15 minutos. Nesta etapa, procure descartar imediatamente as franquias que não lhe interessaram.

Passo 3 - As perguntas certas para avaliar as franquias
A) Eliminando as franquias que não são para você
Comece fazendo três perguntas mais objetivas para eliminar aquelas franquias que não possuem as características necessárias para você. As perguntas sugeridas são:
1- Que tipo de financiamentos vocês oferecem para adquirir a franquia?
2- Qual é o tipo de experiência exigida para o negócio?
3- Vocês desejam colocar uma franquia na minha cidade?

B) Conhecendo um pouco mais sobre a franquia
O próximo passo consiste em realizar perguntas igualmente diretas, porém mais detalhadas e que podem gerar uma boa conversa sobre o negócio:
1- Em que consiste o conceito e o sistema de operação do negócio? (Toda franquia possui um conceito, tente obter informações que você não encontrará nos materiais de venda de franquias).
2- Vocês possuem um plano de crescimento na minha região? (Esta resposta pode lhe dar uma ideia sobre os esforços que serão dirigidos pela organização franqueadora para a sua região).
3- Posso pegar seu material promocional da franquia? (Procure conferir as informações passadas com o material fornecido).
4- Pode me explicar seu programa de treinamento para o negócio? (Verifique o tempo do treinamento, onde ele acontece e sua profundidade. Um programa de treinamento sólido representa o cuidado do franqueador com seus franqueados).
5- Quantas unidades próprias vocês operam? (Um dos pontos mais importante no franchising, para não dizer o mais importante é o know-how que o franqueador tem para lhe oferecer. Se um franqueador não opera nenhuma unidade, como ele poder lhe passar experiência para a sua operação?
6- Como funciona o suporte ao franqueado? (Um franqueador com bom suporte pode representar a diferença entre sucesso e fracasso. Verifique se esse suporte já existe desde o início da instalação da franquia e durante sua operação).

C) O franqueador que não cobra taxas
Fique atento. Isto pode parecer ser uma vantagem mas, no Franchising, são as taxas que remuneram todo o treinamento e suporte que o franqueador vai dar a você. Logo, será que o suporte não será igual à taxa, ou seja, zero?

D) Deixe as perguntas financeiras para os franqueados da rede responderem
Normalmente, a pergunta inicial que todos fazem é quanto dinheiro é necessário para instalar a franquia. Esta é sempre uma questão muito difícil de ser respondida pelo franqueador, pois depende de uma série de variáveis específicas, como performance de negócios já em operação, ponto comercial e do próprio mercado de atuação do negócio. É melhor conversar com franqueados da rede para saber, na prática, tudo o que foi necessário para começar a operar a franquia.

Passo 4 - Cuidado com os perigos
A) Corretores de franquias
Sempre muito cuidado com aqueles stands em que várias franquias são agrupadas por corretores, mesmo credenciados por franqueadores. Os corretores são movidos pela comissão de venda da franquia, nunca pela relação de continuidade dela por longo tempo. Uma franquia que necessita de terceiros para realizar suas vendas, dá sinais de que também não possui preparo suficiente para entregar o que foi vendido por terceiros.

B) Sem compromissos
Feira, como o nome mesmo diz, é um lugar de “balada”, nada apropriado para fazer ou receber pedidos de casamento. Antes de casar, deve‐se investigar muito. Não assine nada, nem se comprometa com nenhum dos negócios, mesmo que você esteja totalmente “apaixonado“.

C) Não seja “rato de laboratório”!
Sempre muita calma antes de entusiasmar‐se com a ala das franquias internacionais da feira. Certamente, você é quem acabará como o “rato de laboratório”, experimentando os novos conceitos no Brasil.


sexta-feira, 19 de junho de 2015

Em ano de crise redes apostam em modelos de microfranquia

Novo modelo da rede Clínicas Vanessa Silveira será comercializado para cidades de até 150 mil habitantes e a rede Mr Kids de máquinas de brinquedos e doces, aposta em forte expansão no nordeste em parceria com a rede de hipermercados Wal Mart

Pela primeira vez na Feira da ABF, a rede de Clínicas Vanessa Silveira chega ao evento com um lançamento que irá beneficiar as cidades menores: o modelo de microfranquia para cidades de até 150 mil habitantes.

Pioneira em técnicas de micropigmentação no Brasil para calvície, estrias, manchas de pele, olheiras e outras imperfeições, a rede, da especialista Vanessa Silveira, desenvolveu técnicas únicas no mercado como o tratamento que ameniza estrias do tipo “antigas”, aquelas brancas, com profundidade, conforme explica a empresária. “Desenvolvi a técnica a partir das experiências e cursos que fiz no exterior. No caso das estrias, mais do que micropigmentar, nós curamos a estria fazendo que a pele volte a produzir colágeno naquela área ficando lisinha e homogênea”, explica.

O investimento para abrir uma microfranquia com as medidas de 35 a 40m² da Clínicas Vanessa Silveira é de apenas R$ 45.500,00 e está projetada para faturar de R$ 20 a R$ 30 mil  com uma lucratividade de  26% para o franqueado. “Fizemos o possível para que o investimento da franquia não ultrapassasse este valor, pois nosso interesse é no faturamento do franqueado, que em nossa opinião, vai surpreender muito em diversas localidades do país que atender o número de habitantes exigido”, conclui Vanessa.

O modelo tradicional de franquia para cidades a partir de 150 mil habitantes, cujo investimento é de R$ 110 mil, também continua sendo comercializado e está projetado para realizar cerca de 80 atendimentos por mês, com um faturamento que varia entre R$ 50 e R$ 70 mil mensais, com uma lucratividade de 31% para o franqueado.

Já a Mr. Kids – rede de franquias de máquinas de brinquedos e doces – levará para a feira uma das mais importantes parcerias formada pela marca. 250 pontos negociados dentro de grandes redes de hipermercados, como por exemplo o Wall Mart, de todo o Nordeste para que novos franqueados já existentes possam começar a ganhar dinheiro imediatamente com os produtos destinados às crianças. O foco é a região nordeste.

“Os supermercados e hipermercados são locais de grande circulação de pessoas, principalmente de crianças acompanhadas dos pais, que costumam pedir moedinhas para retirar as bolinhas, adesivos e doces, garantindo uma rápida receita para os franqueados, logo que eles adquirem a franquia”, comenta Antonio Chiarizzi Junior, diretor da Mr. Kids.

Com um investimento de apenas R$ 19 mil (R$ 8 mil a Taxa de Franquia, R$ 10 mil inicialmente para a compra de equipamentos e R$ 1.000,00 para o estoque inicial de produtos), já é possível iniciar o negócio. Dependendo do número de máquinas e dos modelos escolhidos pelos franqueado, cujos preços variam de R$ 1.185,00 a R$ 8.920,00, o faturamento mensal pode variar de R$ 2.450,00 a R$ 40 mil ou mais. Mas é na rentabilidade que está o grande retorno: de 40 a 50% sobre o faturamento, uma das maiores do mercado. “Como não cobramos Royalties e não há a necessidade do franqueado ter um ponto comercial nem funcionários, os ganhos são muito interessantes”, completa Chiarizzi.

Este ano, a meta da empresa é abrir 50 novas franquias em todo o território nacional. A Mr. Kids faturou R$ 3,6 milhões no ano passado e a expectativa é um crescimento de 40% até o final de 2015.


Clínicas Vanessa Silveira – Fichas Técnicas:
MODELO TRADICIONAL – para cidades a partir de 150 mil habitantes:
Investimento total (com a Taxa de Franquia incluída): R$ 110 mil
Taxa de Franquia: R$ 40 mil
Taxa de Royalties: 8% sobre o faturamento bruto
Taxa de Propaganda: 3% sobre o Faturamento Bruto
Capital de Giro: R$ 20 mil
Faturamento médio mensal: R$ 50 mil a R$ 70 mil
Lucratividade: 31%
Número de funcionários: 3 a 4
Retorno do investimento: 15 a 24 meses
Prazo do Contrato: 5 anos

MICROFRANQUIA – para cidades até 150 mil habitantes:
Investimento total (com a Taxa de Franquia incluída): R$ 45.500,00
Taxa de Franquia: R$ 20 mil
Taxa de Royalties: 8% sobre o faturamento bruto
Taxa de Propaganda: 3% sobre o faturamento bruto
Capital de Giro: R$ 10 mil
Faturamento médio mensal: R$ 20 a R$ 30 mil
Lucratividade: 26%
Número de funcionários: 2
Retorno do investimento: 15 meses
Prazo do Contrato: 5 anos
Informações sobre a franquia: www.vanessasilveira.com.br


Mr. Kids – Ficha Técnica
Investimento Total: R$ 19 mil
Taxa de Franquia: R$ 8 mil
Taxa de Royalties: não cobra
Taxa de Propaganda: não cobra
Faturamento médio mensal: de R$ 2.450,00 a R$ 40 mil ou mais
Lucratividade: de 40 a 50%
Número de Funcionários: 0
Retorno do Investimento: 15 meses
Prazo do contrato: 3 anos
Contato da Franqueadora: franquia@mrkids.com.br ou 11 5058-2111
www.mrkids.com.br






quarta-feira, 17 de junho de 2015

Franquias do setor de Educação & Treinamento já geram mais de 150 mil empregos diretos

Apesar de haver uma série de bandeiras de franquias de ensino de idiomas, com proliferação de unidades por todo o país, o setor de Educação & Treinamento foi um dos que mais cresceram no Franchising 

O Setor de Educação & Treinamento do Franchising, que engloba principalmente as escolas de idiomas, é um dos que mais continuam a crescer no país. No ano passado, segundo a Rizzo Franchise – consultoria especializada em Franchising, que realiza pesquisas em toda a América Latina – o setor faturou no ano passado mais de R$ 6 milhões e mais de 150 mil empregos diretos, cerca de 9 mil a mais do que o ano anterior.

Ainda segundo o estudo da Rizzo, em 2014, 1.726 novas franquias de escolas e cursos foram abertas, totalizando uma rede de 18 mil novas franquias deste setor no país e 15 novas marcas surgiram, totalizando 227 franqueadores.


Um exemplo de franquia que vem crescendo neste setor é a Park Idiomas. Existente desde 1996 e com forte presença no Estado de Minas Gerais, já que foi fundada na cidade de Uberlândia, a rede agora está abrindo novas unidades em Estados vizinhos e ainda este ano deve chegar a Goiânia, Bahia, Brasília e interior de São Paulo.

No ano passado, a Park Idiomas faturou R$ 16 milhões e a previsão para 2015 é um crescimento de 18%. Um dos grandes diferenciais da rede é a alta lucratividade do franqueado, que é uma das maiores do mercado de ensino de idiomas e um dos fatores que mais têm atraído novos investidores segundo Eduardo Pacheco, presidente da empresa. “Com 300 alunos, é possível alcançar uma rentabilidade de 30% ao mês, em relação ao faturamento médio mensal, que varia de R$ 50 mil a R$ 90 mil, dependendo da localidade”, explica ele.

Método inédito e exclusivo:
Desenvolvido a partir da ferramenta japonesa para desenvolvimento de produtos inovadores chamada quality function deployment (QFD), o fundadores da Park Idiomas, Eduardo Pacheco e Paulo Arruda conseguiram identificar o que as pessoas desejam de um curso de idiomas. O QFD apontou que, em primeiro lugar, as pessoas desejam falar outro idioma com autoconfiança. Em segundo lugar, rapidez no aprendizado e, em terceiro lugar, querem sentir prazer ao estudar inglês, já que consideravam as aulas tradicionais muito “chatas.” A partir daí,  o Método Park foi criado e, para responder a essas três necessidades essenciais, ele se baseia, principalmente, nos processos através dos quais os serem humanos aprendem a falar a língua materna, o qual é natural, ou seja, primeiro falando e depois de absorvido o vocabulário é que aprendem a ler e a escrever. “Quando bebês, primeiramente ouvimos e reproduzimos sons, depois disso, associamos os sons a seus significados, conforme nossas experiências de vida e, assim, começamos a formar as frases e a nos comunicarmos. Somente depois, aprendemos a ler e escrever. Além disso, só nos envolvemos com o entendimento da gramática de nossa língua materna depois que já somos adolescentes e já falamos fluentemente”, explica Pacheco. 

A outra ferramenta utilizada para a criação do método é teoria da Análise Transacional, que desencadeia nos alunos a sensação de prazer, porque sacia as fomes psicológicas deles. “A Análise Transacional aponta como nós, seres humanos, sentimos prazeres psicológicos ao nos relacionarmos e saciarmos as nossas fomes psicológicas por estímulo, reconhecimento, estruturação de tempo, acontecimentos novos seguidos, liderança e posição existencial, bases de nosso método de ensino”, completa Pacheco.

Park Idiomas – Ficha técnica
Investimento total: R$ 105 mil a R$ 240 mil
Capital de Giro: R$ 25 mil a R$ 40 mil
Taxa de Franquia: R$ 25 mil
Taxa de Royalties: R$ 2.499,36 fixos mensais
Taxa de Propaganda: 3% sobre o faturamento bruto
Faturamento médio mensal: R$ 50 mil a R$ 90 mil
Ticket médio: R$ 230,00
Lucratividade: 30% ao mês
Retorno do Investimento: até 24 meses
Metragem mínima da franquia: 85 m²
Número de Funcionários: mínimo de 5
Prazo de contrato: 5 anos
Informações sobre a franquia: www.parkidiomas.com.br



terça-feira, 9 de junho de 2015

Academias sem espelhos

Esta é a aposta da Curves – rede de academias só para mulheres, que se sentem mais motivadas e focadas nos exercícios e não na forma do corpo


Em todas as 124 unidades da academia CURVES – rede americana de academias de ginástica só para mulheres – não há espelhos nas salas de exercícios. Isso porque o incentivo e a proximidade das alunas com a instrutora precisam ser os principais focos e a ausência de espelhos faz com que as mulheres não se preocupem em olhar como estão realizando os exercícios, nem na comparação do corpo com as demais alunas.

Presente em mais de 80 países do mundo, tudo o que há na Curves foi pensado para manter as mulheres na academia motivadas a melhorar a qualidade de vida e não em alcançar um corpo perfeito, como em muitas academias onde homens e mulheres estão preocupados penas com a forma do corpo.

O método Curves foi criado por Gary Heavin, um americano que perdeu a mãe devido a problemas decorrentes da hipertensão e sentiu a necessidade de conscientizar outras mulheres a cuidarem mais da saúde. Após uma série de pesquisas, ele criou um circuito, com aparelhos hidráulicos desenvolvidos exclusivamente para a anatomia feminina, que reúnem exercícios aeróbicos e fortalecimento muscular em apenas 30 minutos, 3 vezes por semana.

Por serem equipamentos hidráulicos, que não dependem de acréscimo de pesos e, sim, da evolução dos exercícios para cada aluna individualmente, as alunas da Curves não correm o risco de terem lesões e trabalham todos os músculos do corpo de uma só vez.

Além disso, é comum encontrar nas unidades da Curves mulheres de todas as idades, desde adolescentes, até senhoras com mais de 60 anos, inclusive filhas, mães e avós treinando juntas.