quinta-feira, 26 de março de 2015

Campinas é alvo da franquia mineira Park Idiomas para expansão em 2015

Com grande potencial para abertura de novas franquias, a Região de Campinas deve receber 19 novas unidades da Park Idiomas  

A Região de Campinas é o grande alvo para a expansão  da Park Idiomas – rede de franquias de escolas de inglês, que já possui 40 unidades em diversas localidades, 17 delas só no Estado de Minas Gerais.  Além da cidade de Campinas, outros 13 municípios estão na mira da rede para a instalação de novas franquias da marca: Americana, Amparo, Cosmópolis, Hortolândia, Indaiatuba, Itabira, Limeira, Mogi Guaçu, Mogi Mirim, Paulínia, Sta. Bárbara, Sumaré e Valinhos.

Segundo recente pesquisa da Rizzo Franchise, empresa de consultoria que realiza pesquisas sobre o mercado das franquias de todo o Brasil, o Franchising em Campinas gerou mais de R$ 4,3 bilhões no ano passado e 62 mil novos empregos diretos. O estudo apontou que todas as 95 empresas campineiras que expandem por meio de franquias possuem, juntas, uma rede de 6 mil varejos em funcionamento em várias localidades do país. Os 5 setores que mais possuem franquia na cidade são: Fast Food, Educação & Treinamento, Negócios & Serviços, Alimentação Especializada e Saúde & Beleza.
No ano passado, a Park Idiomas faturou R$ 16 milhões e a previsão para 2015 é um crescimento de 18%. Um dos grandes diferenciais da rede é a alta lucratividade do franqueado, que é uma das maiores do mercado de ensino de idiomas e um dos fatores que mais têm atraído novos investidores segundo Eduardo Pacheco, presidente da empresa. “Com 300 alunos, é possível alcançar uma rentabilidade de 30% ao mês, em relação ao faturamento médio mensal, que varia de R$ 50 mil a R$ 90 mil, dependendo da localidade”, explica ele.

Método inédito e exclusivo:
Desenvolvido a partir da ferramenta japonesa para desenvolvimento de produtos inovadores chamada quality function deployment (QFD), o fundadores da Park Idiomas, Eduardo Pacheco e Paulo Arruda conseguiram identificar o que as pessoas desejam de um curso de idiomas. O QFD apontou que, em primeiro lugar, as pessoas desejam falar outro idioma com autoconfiança. Em segundo lugar, rapidez no aprendizado e, em terceiro lugar, querem sentir prazer ao estudar inglês, já que consideravam as aulas tradicionais muito “chatas.” A partir daí,  o Método Park foi criado e, para responder a essas três necessidades essenciais, ele se baseia, principalmente, nos processos através dos quais os serem humanos aprendem a falar a língua materna, o qual é natural, ou seja, primeiro falando e depois de absorvido o vocabulário é que aprendem a ler e a escrever. “Quando bebês, primeiramente ouvimos e reproduzimos sons, depois disso, associamos os sons a seus significados, conforme nossas experiências de vida e, assim, começamos a formar as frases e a nos comunicarmos. Somente depois, aprendemos a ler e escrever. Além disso, só nos envolvemos com o entendimento da gramática de nossa língua materna depois que já somos adolescentes e já falamos fluentemente”, explica Pacheco. 

A outra ferramenta utilizada para a criação do método é teoria da Análise Transacional, que desencadeia nos alunos a sensação de prazer, porque sacia as fomes psicológicas deles. “A Análise Transacional aponta como nós, seres humanos, sentimos prazeres psicológicos ao nos relacionarmos e saciarmos as nossas fomes psicológicas por estímulo, reconhecimento, estruturação de tempo, acontecimentos novos seguidos, liderança e posição existencial, bases de nosso método de ensino”, completa Pacheco.


Park Idiomas – Ficha técnica
Investimento total: R$ 105 mil a R$ 240 mil
Capital de Giro: R$ 25 mil a R$ 40 mil
Taxa de Franquia: R$ 25 mil
Taxa de Royalties: R$ 2.499,36 fixos mensais
Taxa de Propaganda: 3% sobre o faturamento bruto
Faturamento médio mensal: R$ 50 mil a R$ 90 mil
Ticket médio: R$ 230,00
Lucratividade: 30% ao mês
Retorno do Investimento: até 24 meses
Metragem mínima da franquia: 85 m²
Número de Funcionários: mínimo de 5
Prazo de contrato: 5 anos
Informações sobre a franquia: www.parkidiomas.com.br

terça-feira, 24 de março de 2015

Dídio Pizza lança a pizza de Ovo de Páscoa

Depois da Pizzatonne no Natal, a tradicional rede de pizzarias delivery lança a primeira pizza de Ovo de Páscoa do Brasil


Para quem procura alternativas saborosas na Páscoa e não abrem mão de uma boa pizza, a Dídio Pizza - rede de franquias de pizzarias exclusivamente delivery – acaba de lançar a primeira pizza de Ovo de Páscoa do mercado brasileiro.

A pizza é de chocolate, feita com o tradicional recheio de brigadeiro e, por cima, um ovo de Páscoa com chocolate Callebaut de 150gr, aberto e separado em duas metades: uma virada para cima e outra virada para baixo. A metade do ovo virada para cima é trufada com creme especial de morango; a outra metade, virada para baixo, é trabalhada com filetes de creme de maracujá. Para completar o visual, um morango compõe a decoração em meio às metades do ovo de páscoa.

“É uma inovação. Nunca se viu uma pizza de chocolate com um ovo de Páscoa por cima e com essa riqueza de detalhes e ingredientes. Queremos continuar sendo a referência de pizzaria que está sempre criando novos e inéditos sabores e combinações para os clientes”, afirma Elídio Biazini, proprietário da rede Dídio Pizza.

Além da pizza de Panettone, que fica em cartaz no cardápio durante o mês de dezembro, a Dídio Pizza também possui outros sabores inusitados e que são referências em São Paulo, Estado onde mais se come pizza do Brasil, como a pizza de maracujá, pizza cheesecake, pizza Double (a única com 2 camadas do país) e a pizza Fondue, no inverno.

A Pizza de Ovo de Páscoa estará disponível na unidade da Lapa e custa R$ R$25,00 a mini com 4 fatias e R$35,00 de 6 fatias.

Com um público fiel, a rede de franquias Didio Pizza surgiu em 1995 e hoje é responsável pela venda de 49 mil pizzas todos os meses. São 24 unidades distribuídas pelas cidades de São Paulo, Grande São Paulo e Interior.

Dídio Pizza: www.didio.com.br

sexta-feira, 20 de março de 2015

Minas Gerais continua sendo alvo da franquia mineira Park Idiomas para expansão em 2015

Mesmo com forte expansão no Estado mineiro, onde a rede de ensino de idiomas já possui 17 unidades, este ano mais 18 cidades de Minas serão contempladas com novas franquias


O Estado de Minas Gerais é o que mais deve receber novas unidades da Park Idiomas – rede de franquias de escolas de inglês, que nasceu em Uberlândia. Com 17 unidades em operação em várias cidades mineiras, este ano a rede vai inaugurar franquias em mais 18 localidades: Varginha, Alfenas, Passos, Poços de Caldas, Pouso Alegre, Três Corações, Uberlândia (nos bairros Brasil, Santa Mônica e na Zona Sul), Patos de Minas, Paracatu, Ituiutaba, Frugal, Divinópolis, Formiga e Itaúna.

Segundo recente pesquisa da Rizzo Franchise, empresa de consultoria que realiza pesquisas sobre o mercado das franquias de todo o Brasil, o mercado de Franchising em Minas Gerais gerou mais de R$ 21 bilhões no ano passado e 57 mil novos empregos diretos. O estudo apontou que todas as empresas mineiras que expandem por meio de franquias possuem, juntas, uma rede de 7.600 varejos em funcionamento em várias localidades do país.

Com apenas 40 franquias em 2014, a Park Idiomas faturou R$ 16 milhões e a previsão para 2015 é um crescimento de 18%. Um dos grandes diferenciais da rede é a alta lucratividade do franqueado, que é uma das maiores do mercado de ensino de idiomas e um dos fatores que mais têm atraído novos investidores segundo Eduardo Pacheco, presidente da empresa. “Com 300 alunos, é possível alcançar uma rentabilidade de 30% ao mês, em relação ao faturamento médio mensal, que varia de R$ 50 mil a R$ 90 mil, dependendo da localidade”, explica ele.

Método inédito e exclusivo:
Desenvolvido a partir da ferramenta japonesa para desenvolvimento de produtos inovadores chamada quality function deployment (QFD), o fundadores da Park Idiomas, Eduardo Pacheco e Paulo Arruda conseguiram identificar o que as pessoas desejam de um curso de idiomas. O QFD apontou que, em primeiro lugar, as pessoas desejam falar outro idioma com autoconfiança. Em segundo lugar, rapidez no aprendizado e, em terceiro lugar, querem sentir prazer ao estudar inglês, já que consideravam as aulas tradicionais muito “chatas.” A partir daí,  o Método Park foi criado e, para responder a essas três necessidades essenciais, ele se baseia, principalmente, nos processos através dos quais os serem humanos aprendem a falar a língua materna, o qual é natural, ou seja, primeiro falando e depois de absorvido o vocabulário é que aprendem a ler e a escrever. “Quando bebês, primeiramente ouvimos e reproduzimos sons, depois disso, associamos os sons a seus significados, conforme nossas experiências de vida e, assim, começamos a formar as frases e a nos comunicarmos. Somente depois, aprendemos a ler e escrever. Além disso, só nos envolvemos com o entendimento da gramática de nossa língua materna depois que já somos adolescentes e já falamos fluentemente”, explica Pacheco. 

A outra ferramenta utilizada para a criação do método é teoria da Análise Transacional, que desencadeia nos alunos a sensação de prazer, porque sacia as fomes psicológicas deles. “A Análise Transacional aponta como nós, seres humanos, sentimos prazeres psicológicos ao nos relacionarmos e saciarmos as nossas fomes psicológicas por estímulo, reconhecimento, estruturação de tempo, acontecimentos novos seguidos, liderança e posição existencial, bases de nosso método de ensino”, completa Pacheco.

Park Idiomas – Ficha técnica
Investimento total: R$ 105 mil a R$ 240 mil
Capital de Giro: R$ 25 mil a R$ 40 mil
Taxa de Franquia: R$ 25 mil
Taxa de Royalties: R$ 2.499,36 fixos mensais
Taxa de Propaganda: 3% sobre o faturamento bruto
Faturamento médio mensal: R$ 50 mil a R$ 90 mil
Ticket médio: R$ 230,00
Lucratividade: 30% ao mês
Retorno do Investimento: até 24 meses
Metragem mínima da franquia: 85 m²
Número de Funcionários: mínimo de 5
Prazo de contrato: 5 anos
Informações sobre a franquia: www.parkidiomas.com.br

quarta-feira, 18 de março de 2015

Mr. Kids tem 210 pontos negociados na Região Sul para a instalação imediata da franquia


Rede de franquias de máquinas de brinquedos e doces é opção barata de investimento e já vem com pontos negociados nos 3 Estados do Sul, em diversas redes de Super e Hipermercados, onde passam milhares de pessoas com crianças

A Mr. Kids – rede de franquias de máquinas de brinquedos e doces – já possui cerca de 210 pontos negociados dentro dos super e hipermercados dos 3 Estados da Região Sul do país, como Extra, Maxx, Todo Dia, Big, Wall Mart, Nacional, Mercadorama e outros para que novos empreendedores e franqueados já existentes possam começar a ganhar dinheiro imediatamente com os produtos destinados às crianças.

Segundo recente pesquisa da Rizzo Franchise, empresa de consultoria que realiza pesquisas sobre o mercado das franquias de todo o Brasil, o mercado de Franchising na Região Sul do país gerou mais de R$ 20 bilhões no ano passado e 98 mil novos empregos diretos. O estudo apontou que todas as empresas sulistas que expandem por meio de franquias possuem, juntas, uma rede de quase 14 mil varejos em funcionamento em várias localidades do país.


“Os supermercados e hipermercados são locais de grande circulação de pessoas, principalmente de crianças acompanhadas dos pais, que costumam pedir moedinhas para retirar as bolinhas, adesivos e doces, garantindo uma rápida receita para os franqueados, logo que eles adquirem a franquia”, comenta Antonio Chiarizzi Junior, diretor da Mr. Kids. “Além disso, trata-se de uma franquia barata e que não exige dedicação em tempo integral do franqueado, sendo uma excelente opção de complementação de renda. Basta abastecer as máquinas e retirar o dinheiro”, acrescenta.

Para garantir qualidade e diferenciais no mercado, a empresa possui um acordo de importação com a fabricante das máquinas Beaver do Canadá, que fornece os equipamentos para a Mr. Kids. “Entre a criançada, os produtos fazem o maior sucesso, pois tivemos o cuidado de trazer itens colecionáveis e com licenciamento profissional de personagens, como os da linha da Dream Works, Garfield, Warner, Disney, SBT  entre outros, todos com certificação do INMETRO e ANVISA. Nosso público consumidor já chega a 200 mil pessoas por mês”, detalha ele.

Com um investimento de apenas R$ 18 mil (R$ 8 mil a Taxa de Franquia, R$ 9 mil inicialmente para a compra de equipamentos e R$ 1.000,00 para o estoque inicial de produtos), já é possível iniciar o negócio. Dependendo do número de máquinas e dos modelos escolhidos pelos franqueado, cujos preços variam de R$ 1.185,00 a R$ 8.920,00, o faturamento mensal pode variar de R$ 2.450,00 a R$ 40 mil ou mais. Mas é na rentabilidade que está o grande retorno: de 40 a 50% sobre o faturamento, uma das maiores do mercado. “Como não cobramos Royalties e não há a necessidade do franqueado ter um ponto comercial nem funcionários, os ganhos são muito interessantes”, completa Chiarizzi.
Este ano, a meta da empresa é abrir 50 novas franquias em todo o território nacional. A Mr. Kids faturou R$ 3,6 milhões no ano passado e a expectativa é um crescimento de 40% até o final de 2015.

Mr. Kids – Ficha Técnica
Investimento Total: R$ 18 mil
Taxa de Franquia: R$ 8 mil
Taxa de Royalties: não cobra
Taxa de Propaganda: não cobra
Faturamento médio mensal: de R$ 2.450,00 a R$ 40 mil ou mais
Lucratividade: de 40 a 50%
Número de Funcionários: 0
Retorno do Investimento: 15 meses
Prazo do contrato: 3 anos
Contato da Franqueadora: franquia@mrkids.com.br ou 11 5058-2111

segunda-feira, 16 de março de 2015

Ele é um franqueador exigente e não é qualquer um que pode ser franqueado

Ao contrário de muitas redes de franquias, que possuem um método simples de seleção de franqueados e possuem uma expansão mais acelerada, a Dídio Pizza se mantém conservadora na abertura de novas unidades com uma seleção rigorosa de novos candidatos 


A Dídio Pizza – franquia de pizzarias delivery – não faz questão de alardear números expressivos de abertura de novas unidades. Muito pelo contrário. Prefere uma expansão mais lenta, porém extremamente profissional para garantir uma seleção de candidatos bem feita e minimizar problemas no futuro. Elídio Biazini, proprietário da rede, faz questão de fazer todas as apresentações da franquia pessoalmente e analisar os candidatos minuciosamente antes de dizer “sim” para o fechamento do negócio. “Prefiro expandir a rede mais lentamente do que as demais do mercado do que ter que administrar conflitos por ter escolhido mal os meus franqueados no futuro”, afirma.

O processo de seleção de franqueados da Dídio Pizza começa com o convite enviado às pessoas que se interessam pelo Negócio e se cadastram no site da empresa, para participarem do “Dia da Descoberta” – uma apresentação com o proprietário da rede, onde tudo é explicado: como funciona a franquia, os desafios de ser um franqueado na área de Alimentação e, principalmente, na área de pizzarias, onde o movimento é intenso à noite e nos fins de semana. “Faço questão de enfatizar que não é fácil ter uma franquia como a nossa e que ela não é para qualquer um”, explica Biazini.

Depois da apresentação, a Dídio Pizza envia um questionário de pré-qualificação para ser preenchido pelos candidatos, onde são levados em consideração: a maturidade profissional, realizações anteriores e se eles foram peças importantes para o crescimento das empresas para as quais trabalharam. Nos casos de sócios, todos eles deverão ser qualificados igualmente para serem franqueados.

“Gosto de avaliar também o quanto cada candidato está interessado no Negócio, pois isso mostra muita coisa em relação à personalidade das pessoas. Se eles demoram para enviar a ficha de pré-qualificação preenchida ou se eles se atrasam no dia marcado para o Test Drive (dia em que o candidato acompanha a operação da Dídio Pizza do começo ao fim), isso não é bom sinal e há grandes chances deles serem reprovados”, diz o franqueador.

Também não há exceções para quem não tem o capital inteiro necessário para investir na franquia e quem não tem a disponibilidade total para se dedicar ao negócio. “Quem precisa de financiamentos para começar um negócio, já vai começar endividado e nós preferimos não vender a franquia a deixar o franqueado quebrar depois”, enfatiza ele.

Por último, com a ficha aprovada e todos os requisitos necessários que comprovam as características ideais do futuro franqueado para a Dídio Pizza, ele ainda passará pelo teste do PI (Sistema Predictive Index), que analisa o perfil comportamental. Só depois de tudo isso é que ele poderá fazer parte da rede.

A Dídio Pizza possui 23 unidades em funcionamento na capital paulista, ABC e algumas cidades do interior de São Paulo, como Campinas, Jundiaí e Vinhedo. O Plano de expansão da rede para 2015 prevê a abertura de mais 8 unidades.


quarta-feira, 11 de março de 2015

Cresce em 30% o número de conflitos entre franqueadores e franqueados resolvidos via Arbitragem

Conselho de Arbitragem do Estado de São Paulo acredita que este ano o número de conflitos deve crescer ainda mais devido à crise do Varejo


No ano passado houve um aumento de 30% nos casos de resolução de conflitos entre franqueadores e franqueados segundo o CAESP – Conselho de Arbitragem do Estado de São Paulo. Segundo Ana Cláudia Pastore, superintendente do CAESP, foram administrados ao todo, em 2014, 40 novos procedimentos, sendo que destes, 30 foram relativos a conflitos na área do Franchising. 

As ações entre franqueadores e franqueados via arbitragem colocaram em discussão mais de R$ 16 milhões e de acordo com o CAESP este número deve subir ainda mais este ano. “Anos de crise costumam ser particularmente promissores para câmaras arbitrais, uma vez que dificuldades financeiras fazem proliferar conflitos, e assim, consequentemente, cresce a procura por meios eficazes e baratos para solucioná-los”, afirma Ana Cláudia.

São inúmeros os motivos que levam as franquias – franqueadores e franqueados – a moverem processos arbitrais por descumprimento de regras do contrato ou por descontentamento da conduta no dia a dia da operação. Segundo o CAESP, os principais motivos que levam franqueados a entrarem com processos contra franqueadores são:
- 30% : falta de suporte do franqueador
- 20%: rescisão contratual
- 50%: desrespeito à cláusula de raio (distância entre franquias), inadequação no fornecimento de produtos e pagamento de taxas (royalties e propaganda)
Já os principais motivos que levam franqueadores a processarem seus franqueados são:
- 20% - falta de pagamento de taxas (royalties e propaganda)
- 20% - descaracterização do padrão de loja
- 20% - franqueados que viraram a bandeira
- 40% - rescisões em geral, como descumprimento de território pré-definido em contrato para atuação e até a venda da franquia sem a prévia comunicação ao franqueador

A Arbitragem tem trazido muitas vantagens a Franqueadores e Franqueados que optam por esse meio de solução de conflitos. Quando as partes se dão conta que podem utilizar a arbitragem ao invés de entrarem na Justiça, ficam mais seguras, pois o prazo da sentença é infinitamente menor do que os processos tradicionais. “Os conflitos são resolvidos diante de um árbitro, que possui a mesma autoridade de um juiz togado sem a necessidade de ter que aguardar por anos a fio uma sentença na Justiça”, explica Ana Cláudia.

  Segundo o CAESP, uma única audiência, na maioria das vezes, é suficiente para que as partes – franqueadores e franqueados – entrem num acordo. “Esta é uma relação onde os dois assinaram um contrato parecido com o casamento. No início, tudo é festa, mas quando há conflitos, ambos querem solucioná-los para não chegar ao divórcio e a arbitragem oferece um ambiente propício para que tudo se resolva da melhor maneira possível e as partes possam chegar a um acordo”, conclui Ana Cláudia.

Os conflitos levam em média de 8 meses a um ano para serem solucionados na Arbitragem. Para utilizar o CAESP em conflitos entre franqueadores e franqueados, basta adicionar no contrato uma cláusula que elege a arbitragem para a resolução de qualquer problema entre as partes durante a relação contratual.

EXEMPLOS DE CONFLITOS QUE CHEGARAM AO CAESP
Os processos movidos via Arbitragem correm em sigilo e, por isso, o CAESP não pode divulgar nomes de empresas, franqueadores ou franqueados. Mas os conflitos e suas resoluções podem ser contatos. Alguns deles do ano passado foram: 

Case 1: Franqueador deseja rescisão contratual e investe na busca de interessados na loja e no imóvel. 
Franqueada diz que quer exercer o direito de preferência e deseja adquirir a propriedade.
Franqueador perde venda do imóvel para terceiro favorecendo franqueada que acaba não adquirindo o bem.
Condenada a franqueada a indenizar o franqueador.

Case 2: Franqueada tem problemas com fornecimento de matéria prima pelo franqueador, bem como fidelidade de preços praticados.
Foi comprovada a falha da franqueadora no fornecimento de matéria prima, bem como nos utensílios, tais como pratos, copos e talheres.
Contrato rescindido e franqueadora condenada ao pagamento de indenização.

Case 3: Franqueadora decide fabricar roupas com mesma marca, mas com preço mais acessível e vender esses produtos numa loja de departamento popular em um shopping.
Franqueada que possuía loja no mesmo shopping ingressou com ação por desrespeito à cláusula de exclusividade recíproca.
Pedido parcialmente procedente:
a. indeferido pedido de indenização referente ao investimento na franquia, despesas de manutenção da loja, taxa inicial de franquia, royalties, lucros cessantes e danos morais.
b. deferido pedido de restituição de valores referentes ao estoque, pagamento pela Franqueadora à Franqueada do estoque remanescente.

Case 4: Franqueado passou a não pagar pelas mercadorias, royalties e fundo de propaganda.
Franqueador pede rescisão com a devida quitação e cobrança de multa.
Franqueado alega que se desinteressou da franquia por falta de apoio do franqueador.
Ação procedente, dando por rescindido o contrato e condenando ao pagamento dos débitos, bem como multa.

Mr. Cheney faz cookie tipicamente americano virar ovo de Páscoa

Rede de lojas de cookies e delícias típicas americanas lança o ovo de páscoa de cookie com chocolate belga

O cookie já é delicioso e na Páscoa ele se transforma na base saborosa para ovos de Chocolate Belga Premium. Essa é a aposta da Mr Cheney para agradar o paladar de consumidores e coelhinhos neste ano. 

A pedido dos fãs da rede que não ficam sem cookie em nenhuma data especial, a Mr. Cheney acaba de lançar a linha de ovos de páscoa. São ovos feitos artesanalmente um a um, com chocolate Belga e pedaços de cookie. Os ovos poderão ser encontrados em todas as lojas da rede nos tamanhos com 55gr e 250gr. 

Embalados em caixas especiais e decoradas para Páscoa, os ovos de 55gr vem nos sabores dos cookies triplo chocolate ou tradicional e custam R$13,90. Já os de 250gr são recheado de bombons de cookie e são vendidos pelo valor de R$49,50. “Criamos um produto Premium, exatamente da forma que os nossos clientes gostam. Com certeza será uma excelente escolha de presente para aquele amigo especial” diz Lindolfo Paiva, diretor da rede.

Lojas ambientadas para saborear as guloseimas típicas das vovós americanas, onde os clientes podem ver os cookies entrarem no forno e saírem quentinhos, aromatizando todo o ambiente. Esse foi o conceito criado pelo Mr. Cheney, uma verdadeira cookie store americana no Brasil. 

Com 41 unidades em funcionamento, entre lojas e quiosques, a rede pretende inaugurar neste ano mais de 40 lojas em várias localidades do país incluindo o Rio de Janeiro e cidades interior paulista. “Nossa previsão para este ano é repetir o sucesso do ano passado e alcançar um crescimento de 120%”, completa Lindolfo.

 Tudo começou numa missão mórmon
O Mr. Cheney tem este nome depois que um americano, chamado Jay Cheney, veio ao Brasil numa missão mórmon e conheceu Lindolfo Paiva, que estava servindo na mesma missão no sul do país. Anos mais tarde, após nova visita ao Brasil, o americano contou que era gerente de uma loja de cookies nos Estados Unidos (um cookieman, como são chamados lá) e ensinou a receita original do cookie americano e seus segredos. Lindolfo e sua esposa começaram a fazer cookies de maneira caseira primeiramente, mas o sucesso foi tanto, que muita gente conhecida queria comprá-los. Ao comentar isso com seu amigo americano, Jay Cheney voltou ao Brasil e ajudou Lindolfo a montar a primeira loja na Zona Norte, que foi batizada de Mr. Cheney por Lindolfo para homenagear o amigo. Até hoje, quando um americano experimenta os cookies do Mr. Cheney os comentários são sempre os mesmos: “vocês deveriam abrir lojas nos EUA, porque nem mesmo lá comemos cookies tão saborosos como estes”.


Ficha técnica
- Ovo maciço nos sabores cookie tradicional e triplo chocolate com 55g: R$13,90
- Ovo recheado com bombom de cookie com 250g: R$49,50
Encontre nossa loja mais próxima de você: www.mrcheney.com.br





terça-feira, 10 de março de 2015

Primeiro programa brasileiro para perda de peso em 12 semanas sem sair de casa chega ao mercado

O novo produto, desenvolvido para que as pessoas continuem queimando gordura após os treinos, mesmo em repouso,  vem numa caixa, com 10 DVDs de treinos, guia nutricional, calendário e guia de treinamento e aplicativos para instalar no celular e levar para onde quiser 

Depois que o empresário Fernando Gabas sofreu um derrame com apenas 33 anos, passou a estudar o que existia de mais moderno e eficiente para montar um programa completo de mudança de vida e ajudar outras pessoas a terem uma rotina saudável. Reuniu os melhores profissionais de Fitness e Nutrição e criou a empresa Heartz, que acaba de lançar o TR2 – Transformational Training, que promete uma verdadeira revolução na mudança da saúde, emagrecimento, condição física e bem estar. Tudo isso em apenas 12 semanas, dedicando apenas 30 minutos por dia. O produto, totalmente nacional, é composto por um Box com 10 DVDs, guia nutricional, calendário de acompanhamento dos treinos e guia de treinamento. Os usuários também terão acesso a 2 aplicativos, criados especialmente para este produto – o Nutrition Guru, um com programa completo para reeducação alimentar e outro com todos os treinos do TR2 com a mobilidade de um aplicativo para a pessoa levar onde quiser.

“Por ser pioneiro no Brasil, ele levou 2 anos para ficar pronto e tivemos que fazer tudo do zero, desde a gravação de todas as aulas de todos os programas de treinamento, até a criação dos aplicativos com orientação de profissionais de ponta. O grande diferencial é que ele foi desenvolvido para queimar na hora  seguinte ao treino, mais de 50% das calorias perdidas durante o exercício, mesmo em repouso, e olha que segundo testes com calorimetria que fizemos, um adulto chega a gastar mais de 1.000 calorias/h utilizando o TR2, explica Fernando, que testou o próprio produto e perdeu 18 quilos em 3 meses.

O produto é destinado a pessoas de todas as idades, mesmo sedentárias, a partir dos 16 anos, que não possuam restrições ortopédicas ou problemas de saúde. Ele pode ser adaptado a 13 diferentes perfis e níveis de condicionamento físico descritos no guia do usuário. Mediante o preenchimento de dados e questionário, o indivíduo se ajusta a um dos perfis, possibilitando o encaminhamento das opções tanto de periodização de treinos (sequência de progressão adequada a ser utilizada pelo perfil do cliente), quanto de sugestão nutricional.

“Testamos o TR2 com um grupo de 20 pessoas, que foram submetidas ao programa por 12 semanas, 5 vezes por semana, 30 minutos por dia. Juntas, elas perderam 182 kg, mais de 9kg em média por pessoa. Tivemos ainda no grupo, 6 participantes que perderam entre 12 e 15 kg cada. Todas elas aliaram os treinos com a programação nutricional sugerida do produto”, acrescenta Gabas.

Paralelamente ao projeto do TR2, Gabas lançou um portal, o Life Matters – O que importa na vida – com conteúdos voltados à Educação, Qualidade de Vida, Saúde e Bem Estar Físico e Emocional.


O produto todo é embalado numa caixa que tem o formato de uma coleção de DVDs e custa 12 parcelas de R$ 39,00. Ele é composto de:

- 10 DVDs
- 1 guia nutricional
- 1 guia de treino (onde a pessoa tem conhecimento da metodologia e pode se adequar a um dos 13 perfis criados)
- 1 calendário de treino para pendurar em um local de fácil acesso e marcar/acompanhar seus treinos
-3 meses de acesso ao aplicativo Nutrition Guru, que além de realizar uma reeducação alimentar, possui mais de 300 receitas fáceis de fazer, super saborosas e saudáveis.
- 12 meses de acesso ao aplicativo TR2 – versão mobile dos DVDs para que a pessoa possa realizar os exercícios em outros locais, como parques, condomínio, academias etc.
- 1 guia de início rápido
- 1 folder de acessórios (são 3 os acessórios essenciais para os treinos: uma bola típica de aulas de Pilates, , um elástico resistence tube e halteres de mãos e 2 opcionais – barra de suspensão e colchonete)

O TR2 pode ser adquirido pelos sites:
www.trdois.com.br e www.heartz.com.br/tr2 .


Park Idiomas lança campanha Park Cidadã para colaboradores e suas famílias: “Água, Luz e Cultura para todos”

Com o objetivo de incentivar os colaboradores de toda a rede de franquias de ensino de idiomas e, com isso, participar ativamente de projetos que contribuam para o meio ambiente, responsabilidade social e mais educação e cultura, a Park Idiomas acaba de lançar o projeto Park Cidadã: Água, Luz e Cultura para todos. A partir deste mês, todos os colaboradores que apresentarem uma economia mínima de 15% em comparação ao mesmo período do ano anterior em suas contas de água ou luz, receberão um ingresso para cinema ou um livro de sua escolha. “Com isso, não só motivamos a fundamental economia de água e energia, como também incentivamos o desenvolvimento da cultura de nossos colaboradores”, explica Eduardo Pacheco, presidente da rede.

Com 40 unidades espalhadas por diversas cidades brasileiras, a intenção da Park Idiomas é incentivar, também, que os colaboradores divulguem esta iniciativa em seus lares para que outras empresas possam aderir à campanha. “Acreditamos que são as iniciativas no micro-ambiente que efetivamente transformam os resultados e, nesse intuito, a Park Idiomas incentiva todos os membros franqueados da rede Park Idiomas que repliquem tal iniciativa em suas respectivas empresas, o que significa que, com isso, podemos atingir mais de 600 domicílios. Esse é um exemplo que pode ser seguido por todas as organizações”, completa Pacheco.

A Park Idiomas está apostando numa expansão que pretende atingir 94 unidades daqui a 3 anos. Até o final deste ano, a rede pretende abrir mais 24 escolas e aumentar o faturamento em 18%.


quinta-feira, 5 de março de 2015

Mulheres deverão representar 48% de todos os novos franqueados em 2015

Pesquisa da Rizzo Franchise revela crescimento do número de mulheres nas franquias e desempenho feminino maior do que os homens nos negócios de varejo


As mulheres já representam 42% de todos os franqueados do país.  São 56 mil mulheres no Brasil operando franquias de diversos setores e a maioria delas têm entre 46 e 55 anos. Esses são alguns dos resultados da recente pesquisa da Rizzo Franchise –consultoria especializada em pesquisas sobre o Franchising em toda a América Latina. As previsões da pesquisa indicam, ainda, que a participação das mulheres no total de franquias que serão abertas em 2015 será de 48%.

Além do crescente número de mulheres, a pesquisa também revela que elas faturam 35% a mais do que os homens em seus negócios próprios.  Segundo o especialista em Franchising e autor da pesquisa, Marcus Rizzo, os principais motivos que levam as mulheres a procurarem cada vez mais as franquias e, posteriormente, ter um desempenho maior do que os homens são:

As mulheres são extremamente focadas - se estiverem interessadas, elas irão fundo até chegarem ao que estão querendo;
São auto motivadas - buscam o resultado e a satisfação, antes mesmo da recompensa financeira;
São mais decididas - quando estão à frente de um negócio que as satisfaçam, são verdadeiros tratores.

“As mulheres participam integralmente dos programas de treinamento e são mais disciplinadas para aprender do que os homens. Além disso, elas têm uma postura mais estável com a equipe de funcionários, gerando, assim, menor rotatividade de pessoal e estão mais presentes no dia a dia do negócio, ao passo que os homens se ausentam mais e tendem a delegar a franquia para funcionários”, explica Rizzo.

Um exemplo de mulher à frente do próprio negócio, que iniciou um mercado no Brasil quando ele ainda era inexplorado e foi à luta sozinha é Vanessa Silveira, formada em Relações Públicas, que hoje está expandindo sua clínica de micropigmentação por meio de franquias em todo o país.

Ela sempre foi apaixonada pelo mercado de Estética e queria lançar algo inédito no Brasil, porém embasado em técnicas avançadas já utilizadas em outros países. Foi aí que resolveu ir estudar no exterior as técnicas de micropigmentação para cobertura de áreas da pele ou remoção de imperfeições, ainda desconhecidas no Brasil. Passou a criar técnicas próprias para Micropigmentação Capilar e Paramédica e, mais recentemente, a Micropuntura, tornando-se sendo referência no país neste mercado. Em 2008, abriu sua primeira clínica em São Paulo e 5 anos depois, sua segunda unidade. No início deste ano, inaugurou sua primeira franquia em Porto Alegre e já fatura anualmente R$ 1,6 milhão. A previsão para 2015 é a abertura de mais 15 unidades da Clínicas VS em várias localidades do Brasil.

Mr. Kids tem 250 pontos negociados no Nordeste para a instalação imediata da franquia

Rede de franquias de máquinas de brinquedos e doces realizou negociação com toda a rede Wall Mart de Hipermercados de todos os Estados do Nordeste, região onde as franquias geraram mais de R$ 2,4 bilhões no ano passado


A Mr. Kids – rede de franquias de máquinas de brinquedos e doces – já possui cerca de 250 pontos negociados dentro dos hipermercados Wall Mart de todo o Nordeste para que novos empreendedores e franqueados já existentes possam começar a ganhar dinheiro imediatamente com os produtos destinados às crianças.

Segundo recente pesquisa da Rizzo Franchise, empresa de consultoria que realiza pesquisas sobre o mercado das franquias de todo o Brasil, o mercado de Franchising na Região Nordeste do país gerou mais de R$ 2,4 bilhões no ano passado e 32.895 novos empregos diretos. O estudo apontou que todas as empresas nordestinas que expandem por meio de franquias possuem, juntas, uma rede de quase 5 mil varejos em funcionamento em várias localidades do país.

“Os supermercados e hipermercados são locais de grande circulação de pessoas, principalmente de crianças acompanhadas dos pais, que costumam pedir moedinhas para retirar as bolinhas, adesivos e doces, garantindo uma rápida receita para os franqueados, logo que eles adquirem a franquia”, comenta Antonio Chiarizzi Junior, diretor da Mr. Kids.

Para garantir qualidade e diferenciais no mercado, a empresa possui um acordo de importação com a fabricante das máquinas Beaver do Canadá, que fornece os equipamentos para a Mr. Kids. “Entre a criançada, os produtos fazem o maior sucesso, pois tivemos o cuidado de trazer itens colecionáveis e com licenciamento profissional de personagens, como os da linha da Dream Works, Garfield, Warner, Disney, SBT  entre outros, todos com certificação do INMETRO e ANVISA. Nosso público consumidor já chega a 200 mil pessoas por mês”, detalha ele.

Com um investimento de apenas R$ 18 mil (R$ 8 mil a Taxa de Franquia, R$ 9 mil inicialmente para a compra de equipamentos e R$ 1.000,00 para o estoque inicial de produtos), já é possível iniciar o negócio. Dependendo do número de máquinas e dos modelos escolhidos pelos franqueado, cujos preços variam de R$ 1.185,00 a R$ 8.920,00, o faturamento mensal pode variar de R$ 2.450,00 a R$ 40 mil ou mais. Mas é na rentabilidade que está o grande retorno: de 40 a 50% sobre o faturamento, uma das maiores do mercado. “Como não cobramos Royalties e não há a necessidade do franqueado ter um ponto comercial nem funcionários, os ganhos são muito interessantes”, completa Chiarizzi.

Este ano, a meta da empresa é abrir 50 novas franquias em todo o território nacional. A Mr. Kids faturou R$ 3,6 milhões no ano passado e a expectativa é um crescimento de 40% até o final de 2015.

Mr. Kids – Ficha Técnica
Investimento Total: R$ 18 mil
Taxa de Franquia: R$ 8 mil
Taxa de Royalties: não cobra
Taxa de Propaganda: não cobra
Faturamento médio mensal: de R$ 2.450,00 a R$ 40 mil ou mais
Lucratividade: de 40 a 50%
Número de Funcionários: 0
Retorno do Investimento: 15 meses
Prazo do contrato: 3 anos
Contato da Franqueadora: franquia@mrkids.com.br ou 11 5058-2111


segunda-feira, 2 de março de 2015

Empreendedora traz para o Brasil técnicas inéditas de beleza e lança a primeira clínica de Micropigmentação só para mulheres

Vanessa Silveira é considerada a pioneira no mercado a desenvolver método exclusivo de micropigmentação para calvície, sobrancelhas, estrias e outras técnicas e agora parte para expansão com franquias


Formada em Relações Públicas, com especialização em Etiqueta Corporativa, Vanessa Silveira sempre foi apaixonada pelo mercado de Estética e queria lançar algo inédito no Brasil, porém embasado em técnicas avançadas já utilizadas em outros países. Foi aí que resolveu ir estudar no exterior as técnicas de micropigmentação para cobertura de áreas da pele ou remoção de imperfeições, ainda desconhecidas no Brasil. Passou a criar técnicas próprias para Micropigmentação Capilar e Paramédica e, mais recentemente, a Micropuntura, tornando-se sendo referência no país neste mercado.

Em 2008 abriu sua primeira clínica, no bairro do Morumbi, em São Paulo e depois de 5 anos inaugurou sua segunda unidade, no tradicional bairro da Vila Madalena. No ano passado, resolveu investir na formatação da empresa franqueadora e já inaugurou sua primeira franquia em Porto Alegre, cidade natal de Vanessa Silveira. Agora,  vai levar seu método exclusivo para todas as capitais do país e cidades com no mínimo 150 mil habitantes e só quer mulheres como franqueadas.

O modelo de clínica da franquia é compacto – cerca de 100 m² - e formatado para lojas de rua ou galerias comerciais em bairros bem localizados. Possui uma recepção e no mínimo 2 salas para os procedimentos. Está projetada para realizar cerca de 80 atendimentos por mês, com um faturamento que varia entre R$ 50 e R$ 70 mil mensais.

A franquia da Clínica VS vai atender pessoas de 25 a 70 anos das classes A, B e C, pela gama de serviços oferecidos na área da micropigmentação, que buscam pequenos tratamentos com grandes resultados. “Atendemos homens e mulheres que querem solucionar calvícies sem a realização de implantes, falhas em suas sobrancelhas, estrias, rugas de expressão, ou até a realização da maquiagem definitiva, além de cobrir manchas e cicatrizes e outras técnicas”, explica Vanessa Silveira.

A ideia da franquia veio com a necessidade de expansão. “Temos hoje somente 2 unidades em São Paulo, mas devido ao pioneirismo de nossos serviços, recebemos clientes de todo o Brasil, que viajam para ter acesso às nossas técnicas”, diz a fundadora. “Por isso é que vamos priorizar a expansão primeiramente fora da cidade de São Paulo”, completa.

O investimento para abrir uma franquia da Clínica VS é de R$ 110 mil, mas a grande vantagem é a lucratividade – 31% para o franqueado, já que o lucro depende exclusivamente do serviço e não de produtos. “Fizemos o possível para que o investimento da franquia não ultrapassasse este valor, pois nosso interesse é no faturamento do franqueado, que na nossa opinião, vai surpreender muito em diversas localidades do país”, conclui Vanessa.

Com apenas 2 lojas, a empresa faturou R$ 1,6 milhão em 2014 e a expectativa é aumentar em 60% este resultado, com a comercialização de 15 unidades até o final de 2015.

Clínica Vanessa Silveira – Ficha Técnica:
Investimento total (com a Taxa de Franquia incluída): R$ 110 mil
Taxa de Franquia: R$ 40 mil
Taxa de Royalties: 8% sobre o faturamento bruto
Taxa de Propaganda: 3% sobre o Faturamento Bruto
Capital de Giro: R$ 20 mil
Faturamento médio mensal: R$ 50 mil a R$ 70 mil
Lucratividade: 31%
Número de funcionários: 3 a 4
Retorno do investimento: 15 a 24 meses
Prazo do Contrato: 5 anos

Informações sobre a franquia: www.vanessasilveira.com.br