quinta-feira, 28 de agosto de 2014

Mr. Cheney: A verdadeira cookie store americana no Brasil agora no Top Center Shopping


    Uma loja ambientada para trazer uma experiência única ao consumidor: o cookie sendo preparado na frente do cliente, levado ao forno e saindo quentinho, com um aroma inesquecível. Tudo igualzinho ao ambiente das famílias americanas, que esperavam as mães e avós prepararem os cookies enquanto se reuniam nas cozinhas juntamente com as crianças. Este é o conceito do Mr. Cheney, uma verdadeira cookie store americana no Brasil, que acaba de chegar ao Top Center Shopping, em São Paulo.

    Além dos cookies em 10 sabores, que são o carro-chefe das lojas, o Mr. Cheney reproduziu as receitas de diversos american treats tradicionais como cinnmon rolls, american pancakes with maple syrup, apple pie, cheesecake, brownies etc. Todos os produtos são resultados de receitas autênticas americanas, produzidos artesanalmente com ingredientes de primeira qualidade, bem recheados e fieis aos detalhes do preparo, como fazem as mães, avós e  tias americanas.

    A nova franquia no Top Center foi aberta pelo casal Luiz e Taís Frioli, que estavam pesquisando há mais de um ano um negócio para que pudessem trabalhar juntos. Ele, engenheiro e ela, arquiteta, se encantaram com a qualidade dos produtos do Mr. Cheney. “Além de não existir nenhum outro cookie aqui no Brasil com essa mesma qualidade, achamos a margem de retorno muito interessante e, por isso, resolvemos investir”, explica o franqueado.

    Com 30 unidades em funcionamento, entre lojas e quiosques, a rede já comercializou mais 41 franquias este ano e acaba de inaugurar sua fábrica, na zona norte de São Paulo com capacidade de expansão para atender até 400 lojas.


Delícias Americanas do Mr. Cheney:

COOKIES
Os cookies são vendidos a R$ 4,75 cada e estão disponíveis em 10 diferentes sabores:
- Chocolate Chips (massa de baunilha com pedaços de chocolate)
- Double Chocolate (massa de puro cacau com grandes pedaços de chocolate meio amargo)
- Triple Chocolate (3 chocolates juntos no mesmo cookie)
- White Chocolate Chips (massa de baunilha com grandes pedaços de chocolate branco)
- Macadâmia (cookie gourmet com pedaços de macadâmia e de chocolate meio amargo)
- White chocolate chips with walnuts (chocolate branco e nozes)
- Chocolate chips with M&M´s (cookie com pedaços de chocolate e coberto com os confeitos coloridos M&M)
- Chocolate chips with peanuts (cookie de pasta de amendoim com pedaços de chocolate e amendoim picado)
- Chocolate chips with walnuts (chocolate com nozes)
- Oatmeal Raisins (cookie light com menos gordura, menos açúcar, com uvas passas e aveia em flocos).

OUTRAS GULOSEIMAS DOCES:
- Brownie: bolo de chocolate com pedaços de nozes crocantes chilenas, servido quente com uma bola de sorvete de baunilha e calda de chocolate por cima (R$ 9,75)
- Mini apple pie: tortinhas de maçã individuais, recheadas com maçãs Granny Smith, canela, açúcar e noz moscada, servida quente com uma bola de sorvete de baunilha e calde de caramelo por cima (R$ 10,90)
- American Pancakes with maple syrup: 3 panquecas grossas feitas na hora, servidas quentes e cobertas com margarina e xarope de maple, que pode ser substituído por leite condensado (R$ 9,90)
- Cinnamon Rolls: enrolados de canela feitos de pão doce tipicamente americano, servido quente com cobertura de cream cheese (R$ 9,75)
- Cheesecake: torta macia e aerada, feita com cream cheese, ovos e baunilha sobre uma camada de biscoitos servida gelada. Acompanha geleia de amora ou morangos (R$ 10,90)
- Cookie Ice Montain: o cookie preferido servido com uma bola de sorvete de baunilha por cima e coberto com calda de caramelo ou chocolate (R$ 7,75)

SALGADOS
- Wraps: de carne moída ou frango, temperados à moda mexicana (R$ 14,25)
- Turkey & Ham rolls: pães salgados em forma de rocambole, recheados com mussarela, presunto ou peito de peru e servidos quentes com molho de requeijão (R$ 9,75)

BEBIDAS
- Shakes em 3 versões: milk shake (R$ 13,25), cookie shake e ovomalcheney (R$ 14,25)
- cafés, chás, capuccinos, achocolatados e frappés (entre R$ 3,90 e R$ 19,25)
- água, refrigerantes e sucos (entre R$ 3,00 e R$ 6,90)

ESPECIAIS
Produtos para viagem ou presentes, como as caixinhas de mini-cookies com 6 unidades, caixa com o Big Cookie (personalizados, com nomes ou frases), gingerbread (biscoitos de bonequinhos de gengibre) e outros (preços diversos).

Top Center Shopping
Endereço: Av. Paulista, 854 – Bela Vista
Contato: (11) 3171-3973 / www.topcentershopping.com.br

Como ganhar mais vendendo menos


Como a PASTECA quintuplicou a produtividade das lojas tirando mais de 400 produtos do cardápio

    Desde que iniciou a PASTECA – rede de fast food de pasteis, sua proprietária, Miriam Felippi sempre achou que incrementar o cardápio e ter opções para todos os gostos, era a forma correta para faturar mais. Cada vez que percebia que poderia vender mais algum item, colocava no cardápio sem titubear. Foi quando viu que sua produtividade estava caindo e ela precisava fazer uma reestruturação para poder crescer com franquias.


    Apesar do nome “Pasteca”, o negócio tinha de tudo. Eram 501 itens de produtos, entre pasteis, sanduíches, pizzas, salgados, sorvetes, bomboniere e bebidas. Miriam não conseguia ganhar escala na compra com fornecedores, porque precisava comprar de tudo e nem sempre em grande quantidade. Agora, ela é um fast food especializado em pasteis: são 58 produtos ao todo no cardápio entre pasteis (27 sabores) e bebidas.

    Com isso, aliado à reestruturação do layout das lojas e esquema de montagem de pasteis na cozinha, a Pasteca , reformulação da produção da cozinha aumentou a produtividade de R$ 234,00 por m² (numa loja que antes tinha 684 m²) para uma produtividade de R$ 1.025,00 por m², agora numa loja com 78m² e que será o padrão para a expansão em todo o Brasil.

As principais mudanças foram:

1-    Layout simplificado: A loja sofreu uma reestruturação e passou a ser bem menor – de 684 m² para 78m². Tinha mesas e cadeiras na calçada e agora possui loja compacta, com mesas e cadeiras internas, como num fast food. A loja passou a não ter paredes internas nem divisórias e são os equipamentos que dividem as áreas.

2-     Produtos a menos: Eram 501 produtos ao todo – tinha pastel, sanduíches, pizzas, saladas, sorvetes, bomboniere e bebidas. Agora só tem pastel e ao todo são 58 produtos (entre pastéis e bebidas) e somente 27 tipos de pastéis.

3-    Cardápio extinto: Foi eliminado e no lugar dele surgiu o menu board afixado na parede atrás do balcão. Antes, as pessoas pegavam o cardápio, iam até as mesas e faziam o pedido. Agora, o cliente vai ao caixa, faz o pedido através da visualização do menu board e faz o pagamento. Recebe, então, uma haste com o número do pedido e a leva para a mesa. Quando o pedido fica pronto, a atendente recebe a bandeja com o número correspondente à haste de cada cliente e a leva para a mesa. O atendimento foi agilizado e não há mais tumulto no balcão quando a loja está cheia.

4-    Montagem de produtos na cozinha: A produção dos pasteis  agora é linear, como na linha de montagem de um carro. Os produtos e seus insumos é que se movimentam em linha e não mais as pessoas. O estoque também agora está disponível em cada uma das etapas de montagem e preparo dos produtos. Essas mudanças proporcionaram grandes ganhos de escala, diminuição do tempo de preparo dos pastéis e diminuição de custos.

A Pasteca possui 2 unidades próprias em Chapecó/SC e a primeira franquia, aberta em Erechim, no Rio Grande do Sul, já iniciou a operação neste novo esquema. O faturamento da pequena rede, porém, já chegou aos R$3 milhões no final de 2013 e o plano de expansão da empresa para este ano contempla a instalação de 5 lojas em cidades de Santa Catarina e do Rio Grande do Sul. O investimento total para abrir uma franquia da Pasteca é de R$ 190 mil, já com a Taxa de Franquia e o faturamento médio é de R$ 60 mil/mês, com uma rentabilidade de 10% para o franqueado.
   

PASTECA – Ficha Técnica
Ano de fundação: 1993
Início do Franchising: 2013
Número de unidades: 2 próprias e 1 franqueada
Investimento total com Taxa de Franquia: R$ 220 mil
Taxa de Franquia: R$ 30 mil
Taxa de Royalties: 8% sobre o faturamento bruto
Taxa de Propaganda: 2% sobre o faturamento bruto
Capital de Giro: R$ 15 mil
Faturamento médio mensal: R$ 60 mil
Rentabilidade: 10%
Prazo de Retorno do Investimento: 24 meses
Número de funcionários por loja: 8
Prazo de Contrato: 10 anos
Contato: www.pasteca.com.br

quarta-feira, 27 de agosto de 2014

Mr. Cheney inaugura fábrica para atender 400 lojas e praticamente dobra o número de franquias no primeiro semestre




Rede de lojas de cookies e delícias típicas americanas dá um salto no mercado com inaugurações nos principais shoppings do país e prepara a rede para ser a maior do mundo

Lojas ambientadas para saborear as guloseimas típicas das vovós americanas, onde os clientes podem ver os cookies entrarem no forno e saírem quentinhos, aromatizando todo o ambiente. Este é o principal conceito do MR. CHENEY, rede de franquias de cookies e outras delícias tipicamente americanas, que, somente no primeiro semestre deste ano deu um grande salto: a inauguração da primeira fábrica da empresa, com 400 m² de área construída, com capacidade de expansão para até 700m² e a comercialização de 26 unidades.  

Segundo Lindolfo Paiva, proprietário do Mr. Cheney, a nova fábrica, cujo investimento foi de R$ 1,5 milhão, possui capacidade de produção para atender até 400 lojas. “Nossa produção hoje é de 200 mil cookies por mês para as 30 unidades que possuímos, mas nossa intenção é ser a maior rede de cookie stores do mundo”, diz Lindolfo.

Outra grande novidade no ano de 2014 é a abertura de lojas próprias em pontos estratégicos de São Paulo, como shoppings de grande visibilidade e Aeroportos. Segundo Lindolfo, os últimos 5 anos foram decisivos para fortalecer a marca e testar definitivamente o mercado, que está ávido por produtos diferenciados e saborosos. “O Mr. Cheney existe há 9 anos e logo depois de sua fundação, chegamos a ter 700 candidatos interessados na franquia, mas sempre fomos muito cautelosos e não queríamos abrir lojas em shoppings sem saber exatamente se teríamos o sucesso esperado”, acrescenta o proprietário, que afirma ter feito a “lição de casa” durante um bom tempo antes de iniciar uma expansão mais agressiva.

E este ano, a rede já começa a colher os frutos desta dedicação à correta estruturação do negócio. No ano passado, a rede faturou R$ 5 milhões e este ano prevê um aumento no faturamento de 120%. A meta da empresa é chegar a 300 unidades nos próximos 5 anos.

Tudo começou numa missão mórmon
 O Mr. Cheney tem este nome depois que um americano, chamado Jay Cheney, veio ao Brasil numa missão mórmon e conheceu Lindolfo Paiva, que estava servindo na mesma missão no sul do país. Anos mais tarde, após nova visita ao Brasil, o americano contou que era gerente de uma loja de cookies nos Estados Unidos (um cookieman, como são chamados lá) e ensinou a receita original do cookie americano e seus segredos. Lindolfo e sua esposa começaram a fazer cookies de maneira caseira primeiramente, mas o sucesso foi tanto, que muita gente conhecida queria comprá-los. Ao comentar isso com seu amigo americano, Jay Cheney voltou ao Brasil e ajudou Lindolfo a montar a primeira loja na Zona Norte, que foi batizada de Mr. Cheney por Lindolfo para homenagear o amigo. Até hoje, quando um americano experimenta os cookies do Mr. Cheney os comentários são sempre os mesmos: “vocês deveriam abrir lojas nos EUA, porque nem mesmo lá comemos cookies tão saborosos como estes”.


Mix de produtos
O carro-chefe do Mr. Cheney é o cookie, com 10 versões de sabores, que representam 70% das vendas da rede e custam R$ 4,75 cada.

Outras delícias doces tipicamente americanas: brownie, cinnamon rolls (enrolados de canela, feitos de pão doce, com cobertura de cream cheese), mini apple pie (tortinhas de maçã individuais), cheesecake, american pancakes with mapple syrup (panquecas servidas quentes com cobertura de manteiga e xarope de mapple ou leite condensado), cookie ice montain (o cookie preferido com uma bola de sorvete de baunilha em cima e calda de caramelo ou chocolate). Os salgados ficam por conta dos wraps de carne moída ou frango com tempero mexicano e dos turkey & ham rolls, que são pães salgados em forma de rocambole nos sabores mussarela, presunto ou peito de peru, servidos quentes com molho de requeijão. Entre as bebidas estão os famosos shakes, em 3 versões, os frappés e vários tipos de cafés e achocolatados. Complementam o mix produtos para viagem ou presentes, como os biscoitos de gengibre (famosos bonequinhos americanos), e caixas para presentes com mini cookies ou big cookies personalizados.


FRANQUIA MR CHENEY – Ficha técnica:
Investimento total (com a Taxa de Franquia incluída): R$ 250 mil a R$ 280 mil
Capital de Giro: R$ 10 mil
Taxa de Franquia: R$ 43 mil
Taxa de Royalties: 5% sobre o faturamento bruto
Metragem média das unidades: de 20 a 35 m²
Número mínimo de funcionários: 5
Faturamento médio mensal: R$ 45 mil
Lucratividade: entre 12% e 25%
Prazo de contrato: 5 anos
Contato: www.mrcheney.com.br


Única rede de franquias de podologia da Feira da ABF Campinas, Doctor Feet espera grande procura de candidatos em toda a região


Nicho de mercado ainda inexplorado em diversas cidades do Brasil, os serviços de tratamentos para os pés serão levados pela Doctor Feet para todos os públicos

    Quando a Doctor Feet - franquia de serviços e produtos de tratamentos para os pés – foi criada há 15 anos, muita gente tinha receio de entrar nas lojas porque achava que os serviços poderiam ser caros demais ou para um público específico, com necessidades especiais para tratamentos. Com a expansão da rede, hoje a Doctor Feet, que possui 74 lojas espalhadas por todo o país, já é conhecida por ser uma loja que atende todos os públicos e bolsos, inclusive homens que antigamente eram a minoria dos clientes.

    Este ano, a empresa possui foco no interior do Estado de São Paulo, mais precisamente na Região de Campinas. Segundo a diretoria da empresa, a franquia está prospectando candidatos a franqueados nas seguintes cidades: Campinas, Jundiaí, Indaiatuba, Limeira, Piracicaba, Paulínia, Ribeirão Preto, São José do Rio Preto, São José dos Campos, Araçatuba, Araraquara, Catanduva, Sorocaba, Bauru, Taubaté, Sumaré, São Carlos, Jacareí, Presidente Prudente, Rio Claro, Pindamonhangaba, Salto, Poá e Ourinhos. “São cidades que possuem grande oportunidade para negócios como o nosso, que trazem especialização e profissionalismo para um serviço ainda escasso para o consumidor final”, explica Jonas Bechelli, proprietário da rede.

    Hoje a rede já fatura R$ 48 milhões e atende mais de 60 mil clientes por mês. Um dos grandes diferenciais da rede é contratar profissionais formados pelo pelos cursos do SENAC, um dos melhores na área de podologia no Brasil. Para abrir uma franquia da Doctor Feet é necessário um investimento de cerca de R$ 290 mil, já com a Taxa de Franquia.  “O faturamento de nossas lojas é acima de R$ 60 mil/mês, com uma lucratividade de 20% para os franqueado”, detalha Jonas, que espera um crescimento de 20% no faturamento até o final deste ano.
   
Os serviços da Doctor Feet
Os serviços de podologia são os preventivos e corretivos. Dentre eles, há o Tratamento Tradicional (que inclui o corte técnico das unhas, remoção de calos e calosidade e massagem relaxante), Reflexologia, Hidratação com parafina, Aplicação de Órteses, Aplicação de Fototerapia, Tratamento para Olho de Peixe, Calos Infeccionados, entre outros. Há também os serviços de manicure, onde a profissional adota os mesmos cuidados no manuseio do material, que é lavado em cuba ultrassônica e esterilizado em auto-clave. Preocupada em atender 100% das normas da Vigilância Sanitária, a Doctor Feet utiliza em suas cabines individuais de atendimento o mesmo piso de centros cirúrgicos, além de cabines maiores para pacientes com necessidades especiais. Há também a venda de produtos médicos, ortopédicos e estéticos, todos registrados e homologados pelo Ministério da Saúde, que servem como coadjuvantes nos tratamentos de podologia.

Doctor Feet – Ficha Técnica
Investimento total (fora o ponto, incluindo a Taxa de Franquia): R$ 290 mil
Capital de Giro: R$ 30 mil
Taxa de Franquia: R$ 62 mil
Taxa de Royalties: 5% sobre o faturamento bruto
Taxa de Propaganda: R$ 2,5% sobre o faturamento bruto
Metragem das lojas: 30 a 60m²
Faturamento esperado: R$60 mil (lojas de shopping e de rua)
Ticket Médio: R$ 80,00
Retorno do Investimento: 36 meses
Número de funcionários por loja: cerca de 12
Tempo de contrato: 120 meses
Informações sobre a franquia: www.doctorfeet.net


terça-feira, 26 de agosto de 2014

Empresário do setor de Alimentação Delivery promove encontro com empreendedores de Guarulhos

Fundador da Dídio Pizza, uma das mais tradicionais redes de pizzarias delivery de São Paulo, Elídio Biazini, reúne empreendedores para falar dos desafios do setor

No próximo dia 2 de setembro, das 20h00 às 22h00, o proprietário e fundador da rede Dídio Pizza de pizzarias delivery, Elídio Biazini, promove um encontro com empreendedores de Guarulhos para falar dos desafios e sucessos de quem pretende investir no setor de Alimentação Delivery. O evento será no Hotel Panamby, que fica na Rodovia Presidente Dutra, km 223,8, em Guarulhos. Interessados devem se inscrever pelo site da Dídio Pizza.

Segundo recente pesquisa da Rizzo Franchise, empresa que faz levantamentos sobre os diversos setores do Franchising da Economia Brasileira, já são 601 os estabelecimentos do setor de Fast Food que adotam o delivery em suas operações e, somente no primeiro semestre de 2014, faturaram R$ 383,4 milhões – um crescimento de 9,3% em relação a 2013. O crescimento se deve, de acordo com a pesquisa, ao aumento da demanda por comodidade e rapidez na alimentação do dia a dia, principalmente das grandes cidades brasileiras. “O Delivery já representa 4,3% de todo o setor de Fast Food do Franchising e as vendas têm apresentando um crescimento de 20% em média por ano”, afirma o proprietário da rede Dídio Pizza.


Além dos números do setor, o proprietário da Dídio Pizza também falará do desempenho crescente das 24 pizzarias de sua rede, que no ano passado apresentaram, juntas, um faturamento de R$ 22 milhões com a venda de 510 mil pizzas. “Este ano, nossa meta é chegar a 714 mil pizzas vendidas e nossa expansão agora caminha para cidades próximas da capital paulista para levar o profissionalismo do delivery também a outros municípios com grande potencial de consumo”, explica Biazini.

Segundo o empresário, o setor deve continuar em franco crescimento nos próximos anos devido a 3 fatores:
•    consumidores novos no mercado, que experimentaram no ponto de venda e passam a pedir entrega;
•    segurança e trânsito levam o consumo para dentro das residências;
•    grandes eventos esportivos transmitidos pela TV sugerem pedidos por entrega em domicílio. 


Encontro do proprietário da rede Dídio Pizza com empreendedores de Guarulhos
DATA: 02/09/2014 – terça-feira
HORÁRIO: das 20h00 às 22h00
LOCAL: HOTEL PANAMBY – Rodovia Presidente Dutra, km 223,8 – Guarulhos/SP
A entrada é gratuita e as vagas são limitadas
Informações: 11 2592-7866 ou pelo site: www.didio.com.br
Link para inscrição no evento:
http://didio.sgvf.com.br/pagina/1/cadastro/


segunda-feira, 25 de agosto de 2014

Setor de Delivery apresenta crescimento de 9,3% no primeiro semestre de 2014


Levantamento foi realizado pela RIZZO FRANCHISE e revela que o Delivery já representa 4,3% do setor de Fast Food nas franquias

Já são 601 os estabelecimentos do setor de Fast Food que adotam o delivery em suas operações e somente no primeiro semestre de 2014 faturaram R$ 383,4 milhões – um crescimento de 9,3% em relação a 2013. O levantamento foi realizado pela RIZZO FRANCHISE, que há mais de 25 anos realiza pesquisas sobre o mercado de Franchising de toda a América Latina.

O crescimento se deve, de acordo com o especialista em Franchising e autor da pesquisa, Marcus Rizzo, ao aumento da demanda por comodidade e rapidez na alimentação do dia a dia, principalmente das grandes cidades brasileiras. “O Delivery já representa 4,3% de todo o setor de Fast Food do Franchising e as vendas têm apresentando um crescimento de 20% em média por ano”, afirma.

Segundo o especialista, o setor deve continuar em franco crescimento nos próximos anos devido a 3 fatores:
•    consumidores novos no mercado, que experimentaram no ponto de venda e passam a pedir entrega;
•    segurança e trânsito levam o consumo para dentro das residências;
•    grandes eventos esportivos transmitidos pela TV sugerem pedidos por entrega em domicílio. 

 “A maior concentração das empresas franqueadoras do setor de Alimentação Delivery está na cidade de São Paulo, mas devido à forte expansão dessas redes, muitas cidades do interior do país estão sendo contempladas com a instalação de varejos de alimentação exclusivamente Delivery”, acrescenta Rizzo.

Uma prova desta expansão é a DÍDIO PIZZA – rede de franquias de pizzarias exclusivamente delivery – que após abrir 15 unidades em São Paulo, partiu para a expansão fora do eixo paulistano, em cidades como Jundiaí, Valinhos, São Caetano, Santo André, Osasco e Campinas. “Ganhamos primeiro força na capital e agora já podemos apostar em levar a marca para cidades mais afastadas”, explica Elídio Biazini, fundador da franquia. Hoje, a rede já conta com 24 unidades e um faturamento que em 2013 contabilizou R$ 22 milhões com a venda de 510 mil pizzas. “Este ano, nossa meta é chegar a 714 mil pizzas vendidas e nossa expansão também continua a todo vapor, tanto na cidade de São Paulo, onde há ainda muito mercado para nós, quanto em municípios próximos que têm apresentado grande crescimento deste mercado”, conclui o empresário.

Mercado de Alimentação Delivery no Franchising (levantamento da Rizzo Franchise):



quinta-feira, 21 de agosto de 2014

Dídio Pizza lança 1ª pizza de Cheesecake do país

Nova pizza do cardápio de sobremesas da Dídio Pizza segue a tradição da rede de investir em sabores inusitados e únicos

Uma pizza doce diferente de tudo o que já foi criado nas pizzarias de todo o país: a pizza CHEESECAKE, que acaba de ser lançada pela rede de franquias de pizzarias delivery DÍDIO PIZZA, em parceria com a Philadelphia.

O novo sabor é uma combinação de creme de queijo Philadelphia, geleia de frutas vermelhas e xerém de castanha de caju, tudo isso sobre a famosa massa semi-folhada da Dídio Pizza utilizada nas demais pizzas doces da rede.

Segundo Elídio Biazini, proprietário da Dídio Pizza, esta é a primeira vez que uma rede de pizzarias resolve lançar este sabor de pizza doce, que é tradicionalmente uma das sobremesas mais tradicionais e consumidas em restaurantes e docerias de São Paulo. A pizza cheesecake está disponível no cardápio de todas as 24 lojas da rede em dois tamanhos: a média (6 pedaços) e a mini (4 pedaços).

    A Dídio Pizza foi fundada em 1993 e sempre apostou em combinações de sabores inusitados e exclusivos. Recentemente, por ocasião da Copa do Mundo, em parceria com a Sadia e a Philadelphia, a rede lançou no mercado a pizza “Brasileiríssima”, a primeira pizza Double do Brasil (com duas massa e dupla camadas de recheio) e, mais recentemente, com a chegada do inverno, a Pizza Fondue.

Além de ser conhecida por oferecer pizzas fartas, com o dobro do recheio das pizzas tradicionais do mercado, a Dídio Pizza já lançou outros sabores campeões e inusitados, entre eles a premiada Marguerita com Pepperoni, a Pizza de Mousse de Maracujá e a Pizza de Panettone no mês de dezembro. A rede possui, ainda, uma linha light de pizzas com massa 100% integral.

A Dídio Pizza funciona todos os dias a partir das 18h00 e basta acessar o site www.didio.com.br para localizar a loja mais próxima e fazer o pedido, que pode inclusive ser pré-agendado para ser entregue no dia e horário que desejar.

Pizza Cheesecake:
Média (6 pedaços): R$ 29,00 (somente em Valinhos, ela custa R$ 31,00)
Mini (4 pedaços): R$ 19,00 (somente em Valinhos, ela custa R$ 21,00)






segunda-feira, 18 de agosto de 2014

Franquia da Mr. Kids cabe em qualquer município


Franquia é bom negócio até nas cidades bem pequenas, em qualquer ponto comercial frequentado por crianças

 Uma das principais características do plano de expansão de uma franquia é analisar cidades que tenham potencial para instalar o negócio e, com isso, escolher as cidades a partir de um número mínimo de habitantes. Mas não é isso o que acontece com a Mr.Kids - franquia de máquinas de brinquedos e doces, onde o trabalho do franqueado é abastecer os equipamentos com produtos e retirar o dinheiro acumulado. “Qualquer cidade, por menor que seja, possui pontos comerciais frequentados por crianças e será um bom negócio para os franqueados”, explica Antonio Chiarizzi Filho, proprietário da rede.

E a confirmação está exatamente nos depoimentos de franqueados que estão em cidades bem pequenas, onde a maioria das redes de franquia descarta a possibilidade de instalação de unidades. Diogo Tannous Souza, por exemplo, é franqueado da Mr. Kids na cidade de Ituverava, interior de São Paulo, que possui apenas 40 mil habitantes. Ele conta que já tem 60 máquinas instaladas em supermercados da cidade e de cidades vizinhas, a 10 ou 15 quilômetros da sua, que são ainda menores. “Já negociei com 18 pontos de venda a instalação de minhas máquinas e meu faturamento, que hoje é cerca de R$ 10 a 15 mil por mês, não para de crescer. Além dos supermercados, na minha própria cidade ainda tem muito mercado para as máquinas da Mr. Kids, como restaurantes, farmácias e outros”, diz Diogo.

Com um investimento de apenas R$ 19 mil (R$ 8 mil a Taxa de Franquia, R$ 10 mil inicialmente para a compra de equipamentos e R$ 1.000,00 para o estoque inicial de produtos, que são doces e brinquedos colecionáveis, como bolinhas, adesivos, chaveiros e outros, com personagens que fazem sucesso junto ao público infantil), já é possível iniciar o negócio. Dependendo do número de máquinas e dos modelos escolhidos pelos franqueado, cujos preços variam de R$ 1.185,00 a R$ 8.920,00, o faturamento mensal pode variar de R$ 2.450,00 a R$ 50 mil ou mais. Mas é na rentabilidade que está o grande retorno: de 40 a 50% sobre o faturamento, uma das maiores do mercado. “Como não cobramos Royalties e não há a necessidade do franqueado ter um ponto comercial nem funcionários, os ganhos são muito interessantes”, completa Chiarizzi.

Em apenas 2 anos de operação, a Mr. Kids já abriu 60 franquias, 30 delas somente no ano passado.

Mr. Kids – Ficha Técnica
Investimento Total: R$ 19 mil
Taxa de Franquia: R$ 8 mil
Taxa de Royalties: não cobra
Taxa de Propaganda: não cobra
Faturamento médio mensal: de R$ 2.450,00 a R$ 50 mil ou mais
Lucratividade: de 40 a 50%
Número de Funcionários: 0
Retorno do Investimento: 15 meses
Prazo do contrato: 3 anos
Contato da Franqueadora: franquia@mrkids.com.br ou 11 5058-2111


sexta-feira, 15 de agosto de 2014

Será que aumentar as vendas é a única forma de recuperar os lucros no segundo semestre?



Depois de grandes feriados prolongados no primeiro semestre deste ano e das diversas paradas das empresas por conta da Copa do Mundo, muitos empresários estão se queixando de queda nas vendas e, consequentemente, menor faturamento neste período. Mas será que esforços e investimentos para aumentar as vendas são as formas mais eficazes de recuperar o prejuízo?

O especialista em redução de custos para empresas, Fernando Macedo, da consultoria ERA – Expense Reduction Analysts apresenta outras alternativas para os empresários recuperarem o lucro no segundo semestre. Segundo ele, os resultados podem ser melhores se as empresas olharem para suas planilhas de custos dispostas a realizarem mudanças em certos hábitos muitas vezes repetitivos por anos a fio. “A redução de gastos desnecessários no dia a dia das empresas podem fazer a grande diferença na hora de contabilizar os lucros”, explica o especialista.

Segundo Macedo, através da renegociação de contratos de fornecedores, novas cotações para a compra de materiais, com empresas nunca antes consultadas, ou até mesmo, mudanças internas de hábitos viciosos com as equipes de compras, é possível ter um salto no lucro das empresas, mesmo mantendo o mesmo volume de vendas. “É preciso fazer um levantamento dos custos com diversos itens, como serviços de limpeza, compra de suprimentos, logística, energia elétrica, planos de telefonia, remessas, entregas e outras e estar disposto a iniciar novas negociações, seja com os atuais fornecedores ou com novas cotações”. A economia pode chegar, em média, de 20 a 30%, refletindo diretamente no aumento do lucro, afirma o consultor.

quinta-feira, 14 de agosto de 2014

Lançada no Brasil a primeira franquia de Micropigmentação para Beleza e Estética

Após 6 anos de sucesso em São Paulo, a rede CLÍNICA VS, que possui método exclusivo de micropigmentação para calvície, sobrancelhas, estrias e outras técnicas vai expandir em todo o Brasil


    Mais uma franquia do setor de Saúde & Beleza acaba de ser lançada com previsão de abertura de 161 unidades em cinco anos: é a Clínica VS, da proprietária Vanessa Silveira, que foi a pioneira nas técnicas de micropigmentação no Brasil.

    Formada em Relações Públicas, com especialização em Etiqueta Corporativa, Vanessa Silveira sempre foi apaixonada pelo mercado de Estética e foi estudar no exterior as técnicas de micropigmentação para cobertura de áreas da pele ou remoção de imperfeições, ainda desconhecidas no Brasil. Passou a criar técnicas próprias para Micropigmentação Capilar e Paramédica e, mais recentemente, a Micropuntura, tornando-se sendo referência no país neste mercado. 

    Em 2008 abriu sua primeira clínica, no bairro do Morumbi, em São Paulo e depois de 5 anos inaugurou sua segunda unidade, no tradicional bairro da Vila Madalena. Hoje Fez alguns cursos fora do Brasil e No início deste ano resolveu investir na formatação da empresa franqueadora e agora vai levar seu método exclusivo para todas as capitais do país e cidades com no mínimo 150 mil habitantes.

    O modelo de clínica da franquia é compacto – cerca de 100 m² - e formatado para lojas de rua ou galerias comerciais em bairros bem localizados. Possui uma recepção e no mínimo 2 salas para os procedimentos. Está projetada para realizar cerca de 80 atendimentos por mês, com um faturamento que varia entre R$ 50 e R$ 70 mil mensais.

    A franquia da Clínica VS vai atender pessoas de 25 a 70 anos das classes A, B e C, pela gama de serviços oferecidos na área da micropigmentação, que buscam pequenos tratamentos com grandes resultados. “Atendemos homens e mulheres que querem solucionar calvícies sem a realização de implantes, falhas em suas sobrancelhas, estrias, rugas de expressão, ou até a realização da maquiagem definitiva, além de cobrir manchas e cicatrizes e outras técnicas”, explica Vanessa Silveira.

    A ideia da franquia veio com a necessidade de expansão. “Temos hoje somente 2 unidades em São Paulo, mas devido ao pioneirismo de nossos serviços, recebemos clientes de todo o Brasil, que viajam para ter acesso às nossas técnicas”, diz a fundadora. “Por isso é que vamos priorizar a expansão primeiramente fora da cidade de São Paulo”, completa.

    O investimento para abrir uma franquia da Clínica VS é de R$ 110 mil, mas a grande vantagem é a lucratividade – 31% para o franqueado, já que o lucro depende exclusivamente do serviço e não de produtos. “Fizemos o possível para que o investimento da franquia não ultrapassasse este valor, pois nosso interesse é no faturamento do franqueado, que na nossa opinião, vai surpreender muito em diversas localidades do país”, conclui Vanessa.

    Com apenas 2 lojas, a empresa faturou R$ 1 milhão em 2013 e a expectativa é aumentar em 20% este resultado, com a comercialização de 10 unidades até o final de 2014.

Clínica Vanessa Silveira – Ficha Técnica:
Investimento total (com a Taxa de Franquia incluída): R$ 110 mil
Taxa de Franquia: R$ 40 mil
Taxa de Royalties: 6% sobre o faturamento bruto
Taxa de Propaganda: 2% sobre o Faturamento Bruto
Capital de Giro: R$ 20 mil
Faturamento médio mensal: R$ 50 mil a R$ 70 mil
Lucratividade: 31%
Número de funcionários: 3 a 4
Retorno do investimento: 15 a 24 meses
Prazo do Contrato: 5 anos

Informações sobre a franquia: www.vanessasilveira.com.br


quarta-feira, 13 de agosto de 2014

Andar com o tanque na reserva pode causar danos ao carro


Oficina Brasil explica o que acontece com seu carro quando você anda com o nível baixo de combustível


O ponteiro aponta que o tanque de combustível está na reserva, você faz a conta e calcula que ainda pode rodar mais um pouco e quando finalmente chega no posto abastece só alguns trocados. A situação não é nova e acontece com muitos motoristas que acabam por hábito abastecendo o carro aos pouquinhos, andando sempre no limite sem se preocupar com os danos que isso pode causar para o carro.

Em mais daqueles casos de que o barato pode sair bem caro, um carro que anda sempre na reserva sofre e pode parar na oficina para reparos que poderiam ser evitados. Pensando nisso, a Oficina Brasil – maior rede de franquias de serviços automotivos – explica o que acontece com o seu carro quando se anda sempre com as ultimas gotas de combustível no tanque.

Conforme Antônio Cesar Lopes, consultor técnico da Oficina Brasil, um dos maiores problemas de se andar com pouco combustível é a sujeira que se acumula no fundo do tanque. Com menos líquido no recipiente, a sujeira do fundo fica mais aparente e concentrada e pode mais facilmente entupir os bicos injetores levando a falhas e aquelas “engasgadas” do carro. 

Outro problema sério é a temperatura da bomba de combustível. Com menos líquido circulando no sistema, a peça funciona com temperatura mais alta, uma vez que o próprio combustível ajuda a resfriar e manter uma temperatura mais amena. Com isso o desgaste é maior e a vida útil da peça diminui.

“Sem contar que por uma distração, o motorista pode enfrentar uma pane seca, parar no meio da via e ser multado por isso”, lembra Antonio Cesar.

O valor da manutenção de um veículo com problemas varia muito, mas pode-se ter uma base do prejuízo só pelo preço da bomba de combustível, um dos itens mais caros desse sistema. Uma bomba custa entre R$150 e R$300 reais só a peça, fora a mão de obra que o motorista teria que desembolsar em caso de dano. 

Para agendar uma revisão gratuita, basta ligar para 0800 19 9977 ou acessar: www.redeoficinabrasil.com.br


terça-feira, 12 de agosto de 2014

Rio de Janeiro terá loja do Mr. Cheney, a franquia de cookies tipicamente americana

Com mais de 30 unidades abertas, rede agora foca no Rio de Janeiro para levar os melhores cookies do Brasil à capital carioca

Quem deseja ter um negócio próprio rentável, que foge da concorrência acirrada dos fast foods e, ao mesmo tempo, quer uma franquia charmosa, com cookies e guloseimas tipicamente americanas, como cheese cake, Apple pie, brownies e outras, pode comparecer à apresentação que o Mr. Cheney fará no Rio de Janeiro, no próximo dia 13 de agosto, na Barra da Tijuca.

O Mr Cheney possui lojas ambientadas para saborear as guloseimas típicas das vovós americanas, onde os clientes podem ver os cookies entrarem no forno e saírem quentinhos, aromatizando todo o ambiente. Este é o principal conceito do MR. CHENEY, rede de franquias de cookies e outras delícias tipicamente americanas, que, somente no primeiro semestre deste ano deu um grande salto: a inauguração da primeira fábrica da empresa, com 400 m² de área construída, com capacidade de expansão para até 700m² e a comercialização de 26 unidades.  

Outra grande novidade no ano de 2014 é a abertura de lojas próprias em pontos estratégicos de São Paulo, como shoppings de grande visibilidade e Aeroportos e a chegada da rede em cidades onde ela ainda não está, como é o caso do Rio de janeiro.



FRANQUIA MR CHENEY – Ficha técnica:

Investimento total (com a Taxa de Franquia incluída): R$ 250 mil a R$ 280 mil
Capital de Giro: R$ 10 mil
Taxa de Franquia: R$ 43 mil
Taxa de Royalties: 5% sobre o faturamento bruto
Metragem média das unidades: de 20 a 35 m²
Número mínimo de funcionários: 5
Faturamento médio mensal: R$ 45 mil
Lucratividade: entre 12% e 25%
Prazo de contrato: 5 anos
Contato: www.mrcheney.com.br

quinta-feira, 7 de agosto de 2014

Sucesso da Coxinha Du Chef faz empresários lançarem caixas de coxinhas congeladas para saborear em casa



Devido aos inúmeros pedidos de clientes que queriam ter as famosas coxinhas no cone em casa, a empresa lança 7 sabores congelados em caixas com 28 e 350 unidades


    Os clientes pediram e a Coxinha Du Chef – rede de franquias de coxinhas vendidas no cone – atendeu. A partir de agora, nas 8 lojas da rede é possível levar as coxinhas congeladas para casa em 7 diferentes sabores: frango, queijo, calabresa, parmegiana, kibe e as inusitadas e únicas coxinhas doces – brigadeiro e doce de leite. Cada caixa vem com 28 unidades, mas também é possível comprar as coxinhas para festas, em embalagens com 350 unidades.
   
    Segundo o chef Renato Iarussi, um dos proprietários da rede de franquias,  a ideia partiu do consumidor primeiramente, que não estava se contentando em consumir apenas os cones com 12 unidades. “Ganhamos o paladar as pessoas e quando isso acontece, é normal o público pedir o que deseja”, explica Renato, que atendeu prontamente seus clientes com o lançamento dos novos produtos e manteve a mesma política de preços populares das coxinhas no cone.

    As caixas de coxinhas congeladas com 28 unidades têm os seguintes preços:
•    Frango, Queijo, Calabresa e Parmegiana: R$ 7,00
•    Coxinha de Kibe: R$ 8,00
•    Brigadeiro e Doce de leite: R$ 10,00
•    Embalagens com 350 unidades (todos os sabores): R$ 80,00

    A Coxinha Du Chef continua em plena expansão pelo país e além das 8 lojas abertas, já tem mais 8 em processo de abertura. Para este ano estão previstas 35 novas unidades em diversas localidades.