segunda-feira, 30 de setembro de 2013

Credfácil chega a Atibaia/SP e Tocantinópolis/TO


Credfácil abre suas primeiras lojas nas cidades de Atibaia/SP e Tocantinópolis/TO

População das cidades agora terão novas opções de empréstimos, inclusive com refinanciamento de imóveis a juros bem abaixo do mercado

A partir de agora, a população das cidades de Atibaia/SP e Tocantinópolis/TO poderá ter acesso mais fácil ao crédito bancário com juros baixos e prazos muito atraentes. Acaba de ser inaugurada a primeira loja da Credfácil em cada uma dessas cidades. Trata-se de uma mini-agência bancária, que vendem empréstimos e financiamentos de vários bancos, oferecendo uma série de vantagens para os clientes, entre elas o crédito para capital de giro em troca do refinanciamento de imóveis.
Com valores que variam entre R$ 20 mil e R$ 1 milhão, esta modalidade de empréstimo tem a vantagem de ser bastante simplificado em sua aquisição. O cliente apenas precisa dar como garantia um imóvel em seu nome e pode com isso retirar 50% do valor desse bem. A taxa baixa usada nesse tipo de empréstimo é um dos principais atrativos e torna bastante viável a negociação. São apenas 1,09% ao mês e o cliente tem até 120 meses para financiar o crédito.
Outro produto bastante procurado na Credfácil é o Empréstimo consignado para aposentados, pensionistas e funcionários públicos, Empréstimos consignados privados (para empresas com mais de 100 funcionários), Financiamento e refinanciamento de veículos, Financiamento de equipamentos e máquinas agrícolas, Financiamento e refinanciamento de caminhões, Consórcio de imóveis e serviços, Crédito imobiliário, Crédito pessoal com cheque, além de outras opções.
Quem está à frente da nova unidade da Credfácil em Atibaia Eduardo Sarkis Arakelian e da unidade de Tocantinópolis é Lin Siqueira Chin. Ao identificar a carência de serviços e produtos de crédito nas regiões, os empreendedores não tiveram dúvidas em procurar a franquia. O bom momento econômico do país e as perspectivas de crescimento com eventos como a Copa do Mundo e Olimpíadas também estimularam os empresários a investir no setor.
A Credfácil é a maior rede de lojas de crédito do país, com 90 unidades em 12 Estados.

Credfácil Atibaia/SP
Rua José Pires, 301, Centro

Credfácil Tocantinópolis/TO
Rua XV de Novembro, 477

quinta-feira, 26 de setembro de 2013

De Chapecó para todo o Brasil


PASTECA - rede chapecoense de pastéis inicia expansão no Sul do país no comando da empreendedora catarinense Míriam Fellipi, que trabalha duro desde os 12 anos de idade e agora vai invadir o fast food de todo o Brasil com seus tradicionais pastéis

Desde pequena, Míriam Terezinha Fellipe e seus 4 irmãos trabalhavam duro para ajudar nas tarefas domésticas e aprenderam muito cedo a dar valor a tudo o que conquistaram com muito, mas com muito trabalho mesmo. Aos 12 anos, assim como fizeram suas 3 irmãs,  foi trabalhar como babá em casa de família e aos 13 conseguiu uma vaga em uma loja de roupas. Desde então, nunca mais parou e depois de ganhar experiência como bancária aos 18 anos, foi cursar Administração de Empresas. Míriam se tornou alta executiva do Frigorífico Chapecó, um dos mais tradicionais de toda a Região Sul do país, onde apaixonou-se pelo setor da Alimentação.
Em 1993, a empreendedora largou o emprego para assumir a PASTECA – fast food de pastéis fritos e assados, juntamente com sua irmã e desde essa época, ela sonhava em um dia ter uma rede de franquias, espalhada por todo o território nacional. Hoje a Pasteca possui 2 unidades próprias em Santa Catarina (Chapecó e Xanxerê) e inicia agora a expansão por meio da venda de franquias, cuja meta prevê, ainda este ano, a abertura de mais uma loja este ano em Chapecó, uma em Erechim (RS) e uma em Passo Fundo (RS). Até 2017, serão 45 franquias, todas na Região Sul do país.
As lojas que serão abertas daqui para frente terão uma estrutura mais compacta e funcional, com alterações e modernizações também no layout e disposição de mesas e cadeiras. Serão lojas São lojas a partir de 60 m², equipadas e preparadas para atender 6 mil clientes por mês, tanto nas lojas, como no sistema delivery. O investimento total para abrir uma franquia da Pasteca é de R$ 190 mil, já com a Taxa de Franquia e o faturamento médio é de R$ 60 mil/mês, com uma rentabilidade de 10% para o franqueado.
A seleção de candidatos a franqueados em Chapecó, Erechim e Passo Fundo já começaram e quem optar pela compra de uma franquia da Pasteca, em apenas 30 dias terá à sua disposição uma loja montada e equipada, com 8 funcionários treinados e pronta para começar a trabalhar. O sistema criado para preparar e servir os pastéis é tão profissional, que funciona como uma verdadeira linha de produção - com pouco manuseio mas muito conhecimento de todo o processo que será passado aos franqueados durante o treinamento – para que os pastéis saiam prontos para serem consumidos em 10 minutos. “Os franqueados recebem a massa pronta, cortada no tamanho do pastel e porções de recheios já pré-definidos. Basta colocar o molho e os temperos e assar ou fritar na hora”, acrescenta Miriam. Mas o segredo de sucesso do negócio, segundo ela, é toda a estrutura que foi montada na Universidade Pasteca, que fica em Chapecó.
Dentre as cidades de Santa Catarina que vão ganhar lojas da Pasteca nos próximos anos estão Florianópolis, São José, Balneário Camboriú, Itajaí, Blumenau, Brusque, Jaraguá do Sul, Palhoça, Tubarão, Criciúma e Lages.

PASTECA – Ficha Técnica
Ano de fundação: 1993
Início do Franchising: 2013
Número de unidades: 2 próprias
Investimento total com Taxa de Franquia: R$ 190 mil
Taxa de Franquia: R$ 30 mil
Taxa de Royalties: 8% sobre o faturamento bruto
Taxa de Propaganda: 2% sobre o faturamento bruto
Capital de Giro: R$ 15 mil
Faturamento médio mensal: R$ 60 mil
Rentabilidade: 10%
Prazo de Retorno do Investimento: 24 meses
Número de funcionários por loja: 8
Prazo de Contrato: 10 anos
Contato: www.pasteca.com.br

quarta-feira, 25 de setembro de 2013

Peça em cartaz retrata o tráfico humano com uma mistura de drama sem censura e pitadas de humor


Marcela Grandolpho em cena
“Senti um Vazio...” – espetáculo com texto da jovem britânica Lucy Kirkwood – entra na quarta semana em cartaz com a casa cheia reascendendo a polêmica retratada na TV por Glória Perez

Em cartaz desde o dia 6 de setembro na Sala Experimental do Teatro Augusta, o espetáculo “Senti um vazio, no começo quando o coração foi embora, mas agora está tudo bem” tem como tema o tráfico internacional de mulheres e tudo o que envolve o drama das promessas de uma vida melhor fora do país, como violência, gravidez indesejada e prisão em cárcere privado.
Dirigida por Mônica Granndo, com tradução de texto de Alberto Guiraldelli, a peça tem como protagonista a atriz Marcela Grandolpho. “Vi a peça na Inglaterra quando fazia mestrado e o texto me tocou muito. Talvez por também ser uma estrangeira em Londres e certamente pela questão feminina e o modo sensível que a autora escreve”, Diz Marcela.
A diretora Mônica Granndo abraçou o projeto assim que leu o texto, e viu como a montagem como um a oportunidade de fazer as pessoas refletirem sobre a questão da mulher. “Não tem panos quentes. O nosso trabalho dá uma pontada  no estômago. Mas nos preocupamos em fazer um espetáculo que as pessoas possam assistir e refletir sobre a condição da mulher.” , diz Mônica Granndo.
Na peça, a personagem principal é Dijana, uma jovem traficada do Leste Europeu para a Inglaterra, que, para suportar sua rotina de prostituição forçada cria um modo de vida ilusório, no qual ela mesma tenta acreditar, cheio de esperanças, alegrias, expectativas e loucura.
A história é narrada a partir de fragmentos de memória, delírios e desejos da personagem traficada, que passa o tempo procurando meios de juntar o dinheiro que deve ao seu ex-namorado, agora seu cafetão, para se ver livre de sua condição e resgatar seu passaporte.
O espetáculo “Senti um vazio” fica em cartaz até 13 de outubro, sempre às sextas, às 21h30, sábados, às 21h00 e domingos às 19h00. No elenco, além de Marcela Grandolpho, estão também Alberto Guiraldelli, Karina Zichelle e Fabul Henrique .

 “SENTI UM VAZIO no começo quando o coração foi embora mas agora está tudo bem”
Texto de Lucy Kirkwood
Direção de Mônica Granndo
Tradução de Alberto Guiraldelli
Elenco: Marcela Grandolpho, Alberto Guiraldelli, Karina Zichelle, Fabul Henrique
Duração: 70 minutos
Recomendação: 14 anos
Local: TEATRO AUGUSTA - SALA EXPERIMENTAL – Rua Augusta, 943
De 06 de setembro a 13 de outubro/2013
Sexta às 21h30. Sábado às 21h. Domingo às 19h
Ingressos: R$35,00 (Estudantes, maiores de 60 anos e classe teatral têm 50% de desconto).
Aceita todos os cartões de crédito.
Telefone: (11) 3151-4141
Vendas pelo sistema ingresso rápido pelo telefone 4003-1212 ou site www.ingressorapido.com.br


PRIMICIA inicia expansão com franquias depois de 60 anos no mercado

Líder de mercado na indústria de malas e acessórios para viagens, empresa abre 10 lojas próprias para testar o varejo próprio e acaba de inaugurar sua primeira franquia


A PRIMICIA – marca líder no segmento de malas e acessórios para viagens – resolve partir para o mercado de Franchising, após 60 anos vendendo seus produtos no varejo multimarcas. Antes de iniciar o processo de venda das franquias a PRIMICIA, em 2012, abriu 10 lojas próprias para testar o varejo próprio e formatou a empresa franqueadora. Este ano, no primeiro semestre, inaugurou a primeira franquia na cidade de Ribeirão Preto, interior de São Paulo.

Segundo o Diretor Superintendente da Empresa, Roberto Postel, a PRIMICIA dá um grande salto em sua história e o ano de 2013 é um marco para o setor com a chegada da PRIMICIA aos shoppings de todo o país. “Como viemos da indústria, não poderíamos lançar franquias sem antes testar nosso próprio varejo junto ao consumidor final, por isso a abertura de 10 lojas próprias e 1 franquia, cujos proprietários são executivos da empresa, tínhamos que fazer isso antes de oferecer nosso negócio para futuros investidores no país”, explica Postel.

As lojas são amplas – cerca de 80m² - onde o mix, composto de aproximadamente 1.000 produtos, é distribuído uniformemente entre as linhas Viagem (malas, sacolas, frasqueiras e acessórios), Executiva (pastas, mochilas e maletas), Escolar (mochilas, mochilas com carrinho, lancheiras e garrafas), Esportiva (mochilas e sacolas), Feminina (bolsas e carteiras) e Couro (pastas, bolsas e carteiras).

O investimento total para uma franquia da PRIMICIA é de R$ 395 mil, já incluída a Taxa de Franquia, que é de R$ 40 mil. Cada loja está programada para um atendimento de cerca de 800 clientes ao mês e faturamento médio mensal de R$ 120 mil, com uma rentabilidade que fica entre 10 e 14% para os franqueados.

Como estratégia inicial de expansão, a empresa escolheu prioritariamente as localidades que não possuem um volume expressivo de venda em canais multimarcas. As franquias serão, portanto, instaladas em algumas cidades das Regiões Sul, Centro-Oeste, Interior de São Paulo e Triângulo Mineiro.  A meta da PRIMICIA para este ano é a abertura de mais 5 lojas e, para 2014, pretende abrir mais 21 unidades, todas franquias.

Histórico PRIMICIA
A PRIMICIA é a empresa líder no segmento de artigos para viagem, vem atuando há mais de 60 anos no mercado, formada por capital 100% nacional, embora tenha nascido na Argentina tendo como fundadores os irmãos Leon e David Kasitzky.
Em 1952 iniciou suas atividades no Brasil, com a instalação de uma fábrica em São Bernardo do Campo, inicialmente produzindo somente bolsas femininas.
Em 1964, expandindo seu ramo de atuação, a PRIMICIA iniciou a fabricação de malas e foi a primeira empresa a fazer malas com fechamento em zíper, até então as malas eram todas em formato de baú e com fechaduras de metal. Em 1967 lançou a Maleta Executiva tipo 007.
Em 1975 a planta industrial foi transferida para o Município de Caieiras - SP,  em uma área de 60.000 m², onde permanece até os dias de hoje. Lá também foram instaladas a Divisão Química, o Departamento de Manufatura e o Setor de Logística.
Em 1978 a empresa lança as primeiras malas de nylon, mais leves e resistentes que as de plástico (PVC) até então existentes. E em 1981 lança a coleção “All Bags“, malas dobráveis.
Desde a inauguração da nova fábrica a PRIMICIA também vem se dedicando a fabricação de produtos infantis, atualmente é licenciada Disney e Mattel. Ao longo dos mais de 60 anos de Brasil a PRIMICIA vem atuando no desenvolvimento de novos materiais e tecnologias de produção, na criação de produtos inovadores e diferenciados, sempre visando atender da melhor maneira possível todas as demandas dos mercados e clientes.

Ficha Técnica – PRIMICIA
Investimento total – R$ 395 mil
Taxa de Franquia – R$ 40 mil
Taxa de Royalties – 5% sobre as compras
Taxa de Propaganda – 3% sobre o faturamento bruto
Faturamento médio mensal – R$ 120 mil
Lucratividade – 10 a 14%
Capital de Giro – R$ 29 mil
Número de Funcionários por loja – 5
Prazo de retorno do investimento: 36 meses
Tempo de Contrato – 5 anos
Informações – www.PRIMICIA.com.br / franquia@PRIMICIA.com.br


terça-feira, 24 de setembro de 2013

Mais uma Dídio Pizza na Zona Leste de São Paulo


Penha recebe a 23ª pizzaria da rede de franquias de pizzarias exclusivamente delivery, que vai fechar o ano de 2013 com a venda de 1.650 pizzas por dia

A DÍDIO PIZZA – rede de franquias de pizzarias exclusivamente delivery – inaugura esta semana a 4ª loja da Zona Leste de São Paulo, completando 23 unidades nas cidades de São Paulo, Grande ABCD, Valinhos, Jundiaí e Campinas. Desta vez, a loja será aberta no bairro da Penha, nesta quinta-feira, dia 26 de setembro.
Com mais esta loja, a DÍDIO PIZZA chega mais perto de sua meta para 2013, que é chegar a um mínimo de 30 lojas até dezembro e uma venda de 1.650 pizzas por dia (600 mil pizzas durante o ano). “Nosso crescimento em vendas chegará a 75%, um resultado nunca antes alcançado em nossa rede”, comenta Elídio Biazini, proprietário da Dídio Pizza.
Quem está à frente da nova unidade da Penha é a franqueada Luana Juliana Garcia, 30 anos, administradora e pedagoga, que após anos de trabalho no ramo de telecomunicações, decidiu investir em um negócio próprio com a ajuda do marido, Eduardo Emerson Madureira. O amor pelas pizzas e admiração pelo trabalho da DÍDIO PIZZA nortearam na hora de escolher o ramo e local onde investir.
Com mais de 20 anos de experiência no mercado de Alimentação, a DÍDIO PIZZA continua investindo para ter diferenciais potenciais diante da concorrência e firmar sua marca no mercado. Há um ano firmou parceria com a secretaria Municipal do Trabalho de São Paulo e através do CAT (Centro de Apoio ao Trabalhador) oferece curso gratuito de pizzaiolos, que já formou quase 500 pessoas em diversos bairros. O curso tem continuidade em 2013 e todos os meses novas vagas são abertas para formar profissionais – em sua maioria – para o primeiro emprego. O mesmo cuidado no treinamento dos colaboradores é uma constante na rede. A DÍDIO PIZZA é a única pizzaria delivery que fornece curso de direção defensiva e de atendimento ao consumidor para os entregadores motorizados, que hoje já são 130 em toda a rede. “O objetivo é aprimorar cada vez mais o atendimento ao cliente, não somente quando o pedido é feito por telefone, mas na hora da entrega da pizza, onde nossos colaboradores, que são todos admitidos com registro em carteira e todos os benefícios da CLT, possam representar nossa marca em cada residência ou comércio onde entregam nossos produtos”, completa Biazini.
Outros diferenciais da rede ficam por conta do foco exclusivamente no delivery, alta rentabilidade para os franqueados, acréscimo de recheio, que conta com 200g a mais de ingredientes em comparação a outras pizzarias, sabores diferenciados, como a premiada Marguerita com Peperoni e a pizza de Abobrinha e a parceria com a Nestlé nos sabores doces, com receitas especiais para as pizzas, como a de Brigadeiro e a de Maracujá, entre outras. Além das mais tradicionais, a DÍDIO PIZZA também lançou uma linha light de pizzas com massa 100% integral, voltada ao público preocupado com as calorias.

Unidade Penha
Avenida Amador Bueno da Veiga, 3153 - Penha - SP
Telefones: ( 11 ) 3733-9393


Pesquisa aponta cidades de Minas Gerais mais promissoras para abrir uma franquia


Várias empresas  franqueadoras, de diversos setores, estão de olho no interior mineiro para abertura de novas unidades ainda este ano

A RIZZO FRANCHISE – maior empresa de pesquisas do setor de Franchising da América Latina – acaba de divulgar o ranking das cidades do Estado de Minas Gerais mais promissoras para instalar uma franquia. O estudo, que faz parte da pesquisa: “100 melhores mercados para franquias no Brasil” aponta 10 cidades mineiras com maior potencial para franquias. São elas:


1º lugar: Belo Horizonte
2º lugar: Uberlândia
3º lugar: Juiz de Fora
4º lugar: Contagem
5º lugar: Uberaba
6º lugar: Ipatinga
7º lugar: Montes Claros
8º lugar: Betim
                                                      9º lugar: Governador Valadares
                                                        10º lugar: Divinópolis

O grande crescimento do Franchising em Minas Gerais, que hoje conta com 144 franqueadores, uma rede de 7.041 franquias e um  faturamento total de R$ 19,1 bilhões em 2012, além da geração de mais de 53 mil empregos diretos só nas redes de franquias, tem feito com que muitas franqueadoras coloquem as cidades do Estado de Minas Gerais como prioridades para expansão este ano.
Este grande crescimento também tem feito diversas redes de franquias buscarem o as cidades do interior do Estado, principalmente no Triângulo Mineiro e cidades a partir de 25 mil habitantes.

Franquias de olho em Minas Gerais:

PRIMÍCIA – rede de franquias de malas e acessórios, que depois de 60 anos de mercado, resolveu expandir através da venda de franquias e está de olho em cidades do Triângulo Mineiro para abertura de novas lojas. O investimento para abrir uma franquia é de R$ 395 mil. Cada loja está programada para um atendimento de cerca de 800 clientes ao mês e faturamento médio mensal de R$ 120 mil, com uma rentabilidade que fica entre 10 e 14% para os franqueados.
Informações: www.primicia.com.br


OFICINA BRASIL – rede de franquias de serviços automotivos, com mais de 50 unidades. Seu interesse principal é a cidade de Belo Horizonte.  Com um investimento que varia de R$ 300 a R$ 400 mil é possível abrir uma franquia da Oficina Brasil de 250 a 300 m², projetadas para um faturamento médio de R$ 100 mil/mês e uma média de 15 a 18% de lucratividade.
Informações: www.redeoficinabrasil.com.br


BAGNEWS – franquia de publicidade em sacolas e embalagens, com 23 unidades, quer abrir novas franquias nas cidades de Uberlândia e Uberaba. O investimento para abrir uma franquia é de R$ 25 mil e não há necessidade de ponto comercial, pois trata-se de uma franquia no estilo home based, onde o franqueado pode trabalhar em casa. O faturamento médio da franquia gira em torno de R$ 18 mil ao mês, com uma rentabilidade de 35%.
Informações: www.bagnews.com.br


CREDFÁCIL – rede de franquias de crédito – que possui 90 unidades espalhadas por 12 Estados brasileiros e tem interesse em cidades pequenas do Estado mineiro, a partir de 25 mil habitantes. O investimento para abrir uma franquia é a partir de R$ 25 mil e uma loja chega a faturar até R$ 200 mil mensais, com uma rentabilidade de 12% para os franqueados.
Informações: www.franquiascredfacil.com.br


Credfácil participa da Rio Franchising Business e vai abrir 5 unidades no Estado


Maior rede de franquias de crédito do Brasil lança novo modelo de microfranquia a partir de R$25mil para cidades menores
    
A Credfácil – primeira e maior rede de franquias de crédito do país – participa pela segunda vez da Feira da ABF Rio e traz uma novidade voltada para o interior do Brasil, um novo modelo de negócio com unidades com investimento a partir de R$25mil.  Com o aumento do poder aquisitivo da classe C e da população da terceira idade, que já recorre ao crédito consignado com mais segurança,  a CredFácil tem sido uma boa oportunidade para quem deseja abrir um negócio próprio ajudando a população de renda mais baixa a viabilizar o sonho do crédito pessoal para uma série de financiamentos ou mesmo pagamento de dívidas.

Com 90 unidades espalhadas por 12 Estados brasileiros, a Credfácil, que já está presente na cidade de Petrópolis, pretende abrir mais 5 franquias no Estado do Rio de Janeiro. Somente no primeiro semestre deste ano, a rede inaugurou 17 novas lojas. Segundo André Oliveira, proprietário da rede que tem sede na cidade de Umuarama, interior do Paraná, a procura por empreendedores que desejam abrir uma franquia de crédito tem aumentado consideravelmente. “Este ano, nosso faturamento, que em 2012 foi de R$ 25 milhões, deve crescer 30% e nossa meta de abrir 20 unidades até dezembro de 2013 será cumprida até o final do primeiro semestre deste ano”, explica.

    Mas não é só pela facilidade do crédito mesmo a pessoas negativadas que o negócio vem crescendo em todo o Brasil com a abertura de um número bem maior de lojas do que nos outros anos. Segundo André, o bom faturamento das lojas e a alta rentabilidade oferecida aos franqueados é o principal motivo que tem atraído mais candidatos à Credfácil. “Uma loja bem trabalhada, com um franqueado que goste de fazer relacionamentos e criar uma carteira de clientes fiéis, chega a faturar R$ 200 mil mensais, com uma rentabilidade de 12%. Além disso, todas as vendas realizadas são comissionadas imediatamente, então o franqueado não precisa se preocupar em prazos para receber o que vendeu”, diz André Oliveira.

    Uma outra vantagem da Credfácil é a pequena estrutura que o franqueado precisa ter para começar a trabalhar, sem precisar investir alto em uma loja. As lojas possuem 3 guichês de atendimento e mobiliário simples, tudo cedido pelo próprio franqueador, que entrega a loja quando a loja é montada e pronta para começar a trabalhar. E todas usufruem de um suporte tecnológico, que funciona no Paraná e atende todos os franqueados e funcionários das lojas em tempo real.

Além dos créditos pessoais, consignado, crédito para servidores públicos e diversos tipos de financiamento, dois serviços da Credfácil têm traído bastante o público: o refinanciamento de imóveis, que não é feito pela maioria das empresas de crédito independentes e o financiamento de automóveis e equipamentos, incluindo máquinas agrícolas.

Empresário tinha apenas 25 anos

Quando a primeira loja da Credfácil foi aberta, em 2004, André Oliveira tinha apenas 25 anos. Um pouco antes, ele trabalhava como operador de crédito na área de veículos do banco Finasa e começou a fazer um relacionamento diferenciado com seus clientes, pedindo que eles indicassem outros e, aos poucos, passou a não depender mais das concessionárias, pois tinha uma clientela fiel devido ao trabalho realizado de fidelização. Nessa época, o crédito consignado tinha sido recém-lançado para dar oportunidade principalmente a aposentados e foi criada a figura do correspondente bancário.
André Oliveira partiu então para a abertura de sua primeira loja e em 2008 deu início à formatação por meio de franquias.

CREDFÁCIL – FICHA TÉCNICA

Investimento total:
R$40mil a  R$90mil dependendo do tamanho da cidade
Taxa de Franquia:
R$25mil a R$55mil dependendo do tamanho da cidade
Taxa de Royalties: R$ 1mil pagos pelo franqueado e de 2% a 3% repassado à franqueadora diretamente pelos bancos
Taxa de propaganda: Não cobra
Capital de Giro: R$ 10mil a R$20mil
Faturamento médio mensal: R$ 200 mil
Lucratividade do Franqueado: 12%
Prazo de Retorno do investimento: 12 a 18 meses
Número de funcionários por loja: 4
Tempo de contrato: 5 anos
Informações sobre a franquia: www.franquiascredfacil.com.br
Email: expansão@franquiascredfacil.com.br


segunda-feira, 23 de setembro de 2013

Faturamento da Credfácil cresce 20% com empréstimos em troca de refinanciamento de imóvel


Essa modalidade de empréstimo, com juros baixo, 6 meses para começar a pagar e taxa de 1,09% ao mês está incrementando o faturamento dos franqueados da maior rede de lojas de crédito do país

A Credfácil – maior rede de franquias de lojas de crédito do país – está comemorando o aumento do faturamento de todas as lojas com o grande crescimento do número de empréstimos para capital de giro em troca de refinanciamento de imóveis.
Segundo André de Oliveira, presidente da Credfácil, o número de pedidos por esse produto, que há 1 ano representava apenas 5% do faturamento total da rede, fez com que as lojas aumentassem em 20% o faturamento  mensal só nos primeiros 6 meses deste ano.
Com valores que variam entre R$ 20mil e R$ 1milhão, o empréstimo para Capital de Giro em troca de refinanciamento de parte do valor do imóvel, tem a vantagem de ser bastante simplificado em sua aquisição. O cliente apenas precisa dar como garantia um imóvel em seu nome e pode com isso retirar até 50% do valor desse bem.
Para Oliveira, a taxa baixa usada nesse tipo de empréstimo é um dos principais atrativos e torna bastante viável a negociação. São apenas 1,09% ao mês e o cliente tem até 120 meses para financiar o crédito. O imóvel é avaliado por uma equipe do banco e os valores mais solicitados variam entre R$80mil e R$150mil.
“Como se não bastasse tudo isso, ainda é possível pedir o crédito e negociar para começar a pagar somente depois de 6 meses. Com isso, o cliente pode se organizar melhor, pegar o dinheiro e utilizá-lo durante meio ano e só então, começar a pagar”, explica Oliveira. Normalmente, segundo ele, as pessoas estão utilizando esta modalidade de empréstimo para pagamento de dívidas antigas, aquisição de um outro imóvel ou mesmo para investir em um novo negócio.
Todas as unidade da CredFácil possuem o produto, que conforme o diretor da rede já representa uma parcela significativa no faturamento dos franqueados da rede. Além do crédito consignado, o mais procurado, a CredFácil ainda oferece diversos tipos de Produtos entre eles o consórcios, para aquisição de imóvel, automóveis e serviços,  que podem ser usados pelos clientes para cirurgias plásticas, viagens e até festas de casamento e formaturas.
A Credfácil é a maior rede de Franquia de crédito do país, com 90 unidades em 12 Estados. No ano passado, a rede faturou R$ 25 milhões e a previsão de crescimento até o final deste ano é de 30%.

quinta-feira, 19 de setembro de 2013

Como fazer os franqueados ganharem mais

Redes de franquias podem buscar apoio de fornecedores ou fechar acordos com grandes clientes para ajudar a aumentar os ganhos dos franqueados ou diminuir custos em grande escala, refletindo diretamente no faturamento das lojas



Enquanto algumas redes de franquias apenas incentivam seus franqueados na busca de mais clientes, outras estão buscando alternativas, fechando parcerias, lançando novidades  e negociando preços para entrega em escala nas lojas para que seus franqueados possam ganhar mais. É o caso de duas redes que estão conseguindo ótimos resultados para suas unidades e, consequentemente, deixando seus franqueados muito mais satisfeitos: a Dídio Pizza – rede de franquias de pizzarias delivery e a BagNews – rede de franquias de publicidade em sacolas e outras embalagens.
A Dídio Pizza foi buscar ajuda junto aos fornecedores da rede para incrementar o marketing inaugural de cada loja aberta. São grandes empresas que também estão de olho no crescimento e no plano de expansão da Dídio Pizza no Estado de São Paulo e na meta para o ano de 2013, que é a venda de 1.650 pizzas por dia. A partir de agora, a Sadia e a Philadelphia passam a patrocinar a entrega de 50 vouchers para retirada de pizzas gratuitas (no sabor calabresa com borda recheada de cream cheese) na vizinhança de cada nova loja.
Além disso, mensalmente, a Sadia repassa um percentual do valor total de compras da Dídio Pizza para o Fundo Cooperado de Propaganda da rede. “Este valor ajuda nas campanhas promocionais das lojas, como a impressão de folhetos, confecção de kits de divulgação e outros materiais para ajudar na venda de pizzas”, explica Elídio Biazini, proprietário da Dídio Pizza. Só para se ter uma ideia do excelente resultado, as ações de panfletagem nas primeiras semanas de inauguração da loja normalmente são revertidas na venda de aproximadamente 2 mil pizzas.
“O faturamento da Dídio Pizza saltou de R$ 11 milhões em 2011 para R$ 14 milhões no ano passado e o número de clientes atendidos vem crescendo a cada dia. Nossas 23 lojas juntas atendem hoje cerca de 104 mil clientes ao mês e, desses, 57 mil são clientes fiéis e representam 80% do faturamento da rede”, conclui Biazini.

Outra rede que não ficou de braços cruzados e foi atrás de alternativas é a BagNews, que teve uma ideia que está rendendo 30% a mais no faturamento dos franqueados: além da venda de publicidade em sacolas recicláveis e reutilizáveis, que os franqueados já realizavam no dia-a-dia, criou sacos de pão e caixas de pizzas para que eles vendam anúncios promocionais de empresas de suas regiões e consigam incrementar ainda mais o orçamento. As novas embalagens permitem que os franqueados vendam anúncios a uma única empresa, de porte maior, que queira fazer uma propaganda mais chamativa, ao invés de participar dos classificados das sacolas com anúncios menores.
Em São José dos Campos, por exemplo, o franqueado da BagNews fechou um acordo com a CAVEC Incorporação para lançamento de um empreendimento imobiliário da região. Foram impressos 30 mil sacos de pão só com o anúncio do novo prédio residencial e as embalagens foram distribuídas em padarias da cidade. O resultado foi um ganho de 30% a mais no faturamento mensal do franqueado.
A BagNews é uma oportunidade de franquias no estilo home based, de baixo custo (apenas R$ 25 mil) e típica para jovens que desejam ter seu próprio negócio sem a necessidade de investimentos em pontos comerciais, montagem de lojas e despesas com funcionários. Com um faturamento que gira em torno de R$ 18 mil ao mês e uma rentabilidade de 35%, os franqueados são isentos de Royalties nos primeiros 3 meses de operação, além de não pagarem Taxa de Propaganda, o que também aumenta o ganho mensal.


terça-feira, 17 de setembro de 2013

Credfácil abre primeira loja em Criciúma/SC e Taubaté/SP

População das cidades agora terão novas opções de empréstimos, inclusive com refinanciamento de imóveis a juros bem abaixo do mercado

A partir de agora, a população das cidades de Criciúma/SC e Taubaté/SP poderão ter acesso mais fácil ao crédito bancário com juros baixos e prazos muito atraentes. Acabam de ser inauguradas as primeiras lojas Credfácil das duas cidades. Trata-se de uma mini-agência bancária, que vendem empréstimos e financiamentos de vários bancos, oferecendo uma série de vantagens para os clientes, entre elas o crédito para capital de giro em troca do refinanciamento de imóveis.
Com valores que variam entre R$ 20 mil e R$ 1 milhão, esta modalidade de empréstimo tem a vantagem de ser bastante simplificado em sua aquisição. O cliente apenas precisa dar como garantia um imóvel em seu nome e pode com isso retirar 50% do valor desse bem. A taxa baixa usada nesse tipo de empréstimo é um dos principais atrativos e torna bastante viável a negociação. São apenas 1,09% ao mês e o cliente tem até 120 meses para financiar o crédito.
Outro produto bastante procurado na Credfácil é o Empréstimo consignado para aposentados, pensionistas e funcionários públicos, Empréstimos consignados privados (para empresas com mais de 100 funcionários), Financiamento e refinanciamento de veículos, Financiamento de equipamentos e máquinas agrícolas, Financiamento e refinanciamento de caminhões, Consórcio de imóveis e serviços, Crédito imobiliário, Crédito pessoal com cheque, além de outras opções.

Quem está à frente da nova unidade da Credfácil em Criciúma é jovem empresário Fabricio Trevisol Bordignon.  Ao identificar a carência de serviços e produtos de crédito na região, o empreendedor não teve dúvidas em procurar a franquia. O bom momento econômico do país e as perspectivas de crescimento com eventos como a Copa do Mundo e Olimpíadas também estimularam os empresários a investir no setor. A loja fica na Rua General Osvaldo Pinto da Veiga.

Já à frente da unidade da Credfácil em Taubaté é o advogado e empresário Marcos Alves Mota.  Ao identificar a carência de serviços e produtos de crédito na região, o empreendedor não teve dúvidas em procurar a franquia. O bom momento econômico do país e as perspectivas de crescimento com eventos como a Copa do Mundo e Olimpíadas também estimularam os empresários a investir no setor. A loja fica na Rua Coronel Jordão.


. A Credfácil é a maior rede de lojas de crédito do país, com 90 unidades em 12 Estados.

terça-feira, 10 de setembro de 2013

Acaba de chegar ao mercado primeira franquia de coxinhas servidas no cone

Com lojas compactas de 40m², as franquias da Coxinha Du Chef são instaladas em locais de grande circulação de pedestres e atendem 8 mil clientes por mês


As lojas cabem em qualquer lugar onde haja grande circulação de pessoas indo ou voltando do trabalho e que sentem aquela fominha em qualquer hora do dia, mas não querem perder tempo em lanchonetes ou padarias. Este é o conceito da Coxinha Du Chef, onde a dúzia da mini-coxinha de diversos sabores custa R$ 3,50 e é servida num cone, permitindo que as pessoas possam degustá-las em qualquer lugar, até mesmo dentro de transportes públicos, como um snack. Além disso, é a única do mercado a oferecer as coxinhas doces – estas com massa especial, nos sabores doce de leite e brigadeiro.

Com 3 lojas próprias, todas na capital paulista inauguradas este ano – 1 no centro e 2 em Santo Amaro – a Coxinha Du Chef parte agora para a expansão através da venda de franquias e pretende abrir mais 3 unidades ainda este ano e 100 novas lojas em 2014. O conceito do negócio, criado pelos sócios da empresas deu tão certo, que as lojas já pagaram suas despesas logo no segundo mês de vida e alcançaram um faturamento bem acima da média calculada. “As pessoas passam pelas lojas, compram o cone com 12 coxinhas que fica pronto em apenas 2 minutos e não perdem tempo, vão comendo pelo caminho. Em pouco tempo, na região próxima de cada loja, é possível ver um monte de gente com os cones nas mãos, seguindo seus trajetos. Nosso negócio está virando uma febre”, explica Rodrigo Sampaio Mendes, um dos proprietários.

“Quando pensamos em lançar a Coxinha Du Chef”, queríamos algo que pudesse aliar receitas gourmets
diferenciadas, em embalagens altamente práticas para facilitar o consumo”, detalha Rodrigo, quando se refere à criação dos sabores inusitados dos produtos, como a linha doce de coxinhas e a coxinha sabor “bife à parmegiana” – a única do mercado. “Temos também a embalagem do chefão, em isopor, com 60 coxinhas, para a família ou confraternizações”, completa.

A Coxinha Du Chef é uma oportunidade de negócio para quem deseja sucesso na venda de produtos praticamente sem concorrência no mercado de alimentação, devido ao conceito do snack, que pode ser consumido a qualquer hora e em qualquer lugar. Com um investimento de R$ 110 mil, os franqueados recebem a loja completamente montada e todo o treinamento necessário para começar a trabalhar em, no máximo 30 dias.

Até o mês de julho de 2013, a pequena rede formada com apenas 3 lojas próprias já faturaram juntas R$ 280 mil e a previsão de crescimento até o final do ano é de 30%. Cada loja está projetada para um faturamento médio de R$ 40 mil mensais, com uma lucratividade de cerca de 15% para o franqueado.

Além das coxinhas salgadas (4 sabores – frango, calabresa, queijo e bife à parmegiana) e doces (2 sabores – doce de leite e brigadeiro), complementam o mix de produtos os sucos de laranja e uva, refrigerantes, água,  café, café com leite, chocolate e capuccino, além de bolo em pedaços. A expansão, nesta primeira etapa de lançamento da franquia, está concentrada em diversos bairros da capital paulista.

Coxinha Du Chef – Ficha Técnica
Investimento total (com Taxa de franquia) – R$ 110 mil
Taxa de Franquia – R$ 30 mil
Taxa de Royalties – 5% sobre o faturamento bruto
Taxa de Propaganda – 2% sobre o faturamento bruto
Capital de Giro – R$ 20 mil
Número de funcionários – 3 a 4
Faturamento médio mensal – R$ 40 mil
Lucratividade - 15%
Prazo do retorno do Investimento - 18 meses
Tempo de contrato – 5 anos
Informações: www.coxinhaduchef.com.br


segunda-feira, 9 de setembro de 2013

Como pequenas soluções podem contribuir para grandes reduções de custos


Especialista ensina como diminuir custos em pequenas atitudes diárias nas empresas, mas que são grandes soluções para lucrar mais

    Algumas práticas foram criadas nas empresas e ninguém sabe dizer quem foi ou porque a regra foi criada assim. O fato é que, por comodismo, hábito ou resistência a mudanças, muitas empresas não se dão conta de que possuem grandes “ralos”, com uma série de desperdícios e custos desnecessários que comprometem a lucratividade. Muitas vezes, pode ser uma simples compra de papelaria ou cafezinho – pequenas despesas que acumulam milhões ao longo dos anos.
Para fazer uma boa revisão nos custos das empresas, Fernando Macedo, especialista em redução de custos da ERA – Expense Reduction Analysts, consultoria de origem inglesa que está no Brasil desde 2009, dá algumas dicas:

1- Cotações com fornecedores
Quando a equipe de compras está acostumada a fazer a famosa “cotação com 3 fornecedores para escolher o melhor”, cuidado! Este é um processo vicioso e nem sempre eficiente, principalmente se os fornecedores são sempre os mesmos. Faça um rodízio entre os colaboradores que realizam cotações periodicamente. Caso alguém se sinta incomodado com isso, aumente a vigilância, pois pode estar havendo favorecimento de fornecedores em sua empresa.

2- Compras repetidas
Não é difícil encontrar empresas cujos departamentos têm autonomia para compras isoladas ou contratação de serviços e dis ou mais departamentos compram a mesma coisa em momentos diferentes e com fornecedores diferentes. O ideal é centralizar as compras para ganhar no volume e diminuir a margem de preços. Estabelecer uma política de pagamentos mensais no lugar de pagamentos a cada compra também ajuda a ter mais controle.

3- Redução de água
Pouca gente lembra, mas o custo da água mensal é o mesmo também para o esgoto. Uma redução inteligente da água também reduz o custo do esgoto e é possível utilizar o sistema de reaproveitamento da água de maneira bem simples. Numa escola, por exemplo, foi possível coletar a água após o uso em bebedouros e pias de lavagem das mãos e reutilizá-la nos vasos sanitários gerando economias de 12,5%. Para mais informações sobre a reutilização de água para economia nas empresas, basta buscar orientação no serviço de abastecimento de água e esgoto de cada cidade .

4- Redução de Energia Elétrica
Dependendo do porte da empresa, é possível optar  por tarifas diferenciadas e é necessário um planejamento para isso. Mas é possível reduzir bem esse custo, com a instalação de  sensores de presença, células fotoelétricas para acionamento sem a luz do dia, relés de tempo, etc.

5- Limpeza
Se o serviço for terceirizado, esteja atento ao escopo do trabalho contratado e respectiva equipe comprometida. Às vezes, as empresas optam por contratar serviços noturnos, encarecendo os contratos de limpeza,  enquanto em certas horas do dia o fluxo de pessoas circulando é menor e a limpeza poderia ser feita bem mais em conta. Caso o serviço seja desenvolvido por funcionários da empresa, fique atento aos turnos de trabalho e áreas de maior circulação de pessoas. Nunca tente economizar suprimindo o encarregado ou supervisor.

6- Material de escritório
Esse é o item normalmente quase esquecido quando se fala em redução de custos, por ser formado de diversos materiais de baixo custo unitário. A possibilidade de reduzir o volume de itens pode ser feita agrupando-os por similaridade e gerando processos de compra em lotes e períodos regulares. Os custos com “tonners” ou terceirização de impressoras podem esconder armadilhas, portanto é importante a correta avaliação dos volumes de cópias P&B e/ou coloridas, aliada aos níveis de qualidade.

7- Telecomunicações
A grande vilã do desperdício nas empresas. Alguns cuidados básicos para reduzir as tarifas: 1)evite ligar de telefone fixo para móvel, é sempre mais caro; 2) cuidado com promoções milagrosas, verifique todas as exceções para não ter decepções; 3) procure sempre identificar o perfil de consumo da sua operação, cuidado ao comparar apenas o valor total da conta na hora de avaliar propostas; 4) não confunda telefonia móvel com serviço de rádio; 5)  nunca contrate planos corporativos de telefonia móvel em função da hierarquia, tenha em mente que nem sempre os gerentes e diretores da empresa estão em trânsito gerando receitas.

8) Cafézinho
O cafézinho é uma tradição cultural e nem sempre recebe a devida atenção. Existem muitos fornecedores com boas propostas comerciais e é possível conseguir ainda melhores negociações, se a política da empresa autorizar a inclusão de itens complementares em equipamentos de auto-serviço, tais como: achocolatados, sucos, etc.

quinta-feira, 5 de setembro de 2013

Franqueados ganham 30% a mais com iniciativa de franqueador


BagNews, franquia de publicidade em sacolas, lança sacos de pão e embalagens de pizzas para que os franqueados possam vender publicidades promocionais a empresas que desejam um retorno mais rápido dos anunciantes

Conhecida por oferecer um produto inédito e criativo no mercado – a publicidade regional em sacolas recicláveis e reutilizáveis, que são distribuídas gratuitamente no comércio local de cada região, a BagNews teve uma ideia que está rendendo 30% a mais no faturamento dos franqueados: criou sacos de pão e caixas de pizzas para que eles vendam anúncios promocionais de empresas de suas regiões e consigam incrementar ainda mais o orçamento.

Diferentemente das sacolas, que formam verdadeiros classificados, cheias de anúncios de diversas empresas da região, o saco de pão e as embalagens de pizzas permitem que os franqueados vendam anúncios a uma única empresa que queira fazer uma propaganda mais chamativa  - nicho de mercado que vem crescendo a cada dia e que não podia ser plenamente explorado pela rede.

Em São José dos Campos, por exemplo, o franqueado da BagNews fechou um acordo com a CAVEC Incorporação para lançamento de um empreendimento imobiliário da região. Foram impressos 30 mil sacos de pão só com o anúncio do novo prédio residencial e as embalagens foram distribuídas em padarias da cidade. O resultado foi um ganho de 30% a mais no faturamento mensal do franqueado.

As novas opções de embalagens para anúncios também são uma excelente oportunidade para os anunciantes. Em São Paulo, a mesma ação foi feita para a rede Califórnia de academias de ginástica, que possui 4 unidades. Foram impressos 30 mil sacos de pão com um anúncio promocional de descontos para novas matrículas nas academias e foram escolhidas 14 padarias para a distribuição das embalagens. Após 3 semanas, o cliente informou que o número de matrículas havia aumentado em 35%.

 “Como uma rede de franquias, precisamos estar antenados nas oportunidades de mercado para ajudar os franqueados a ganharem mais e aumentarem suas carteiras de clientes”, afirma Salvatore Privitera, proprietário da BagNews. “Percebemos que muitas empresas têm necessidades específicas para anúncios promocionais que precisam de um retorno mais rápido e as sacolas levavam mais tempo para chegar aos lares de cada região, devido à necessidade de comercialização de um número maior de anúncios para preencher todos os espaços das embalagens. Com os sacos de pão, o retorno é quase imediato para os clientes e faturamento mensal do franqueado vai aumentar cada vez mais”, acrescenta ele.

A BagNews é uma oportunidade de franquias no estilo home based, de baixo custo (apenas R$ 25 mil) e típica para jovens que desejam ter seu próprio negócio sem a necessidade de investimentos em pontos comerciais, montagem de lojas e despesas com funcionários. Com um faturamento que gira em torno de R$ 18 mil ao mês e uma rentabilidade de 35%, os franqueados são isentos de Royalties nos primeiros 3 meses de operação, além de não pagarem Taxa de Propaganda, o que também aumenta o ganho mensal.


terça-feira, 3 de setembro de 2013

Peça que retrata o tráfico internacional de mulheres estreia dia 06/09 no Teatro Augusta


Peça que retrata o tráfico internacional de mulheres estreia em Setembro na Capital Paulista

“Senti um Vazio” – espetáculo de grande sucesso na Inglaterra – chega ao Brasil e reascende a polêmica retratada na TV por Glória Perez

Estreia no próximo dia 6 de setembro, na Sala Experimental do Teatro Augusta, em São Paulo, o espetáculo “Senti um vazio, no começo quando o coração foi embora, mas agora está tudo bem” - montagem inédita no Brasil, da jovem dramaturga inglesa Lucy Kirkwood, que reascende a polêmica do tráfico internacional de mulheres e tudo o que envolve o drama das promessas de uma vida melhor fora do país, como violência, gravidez indesejada e prisão em cárcere privado.

Dirigida por Mônica Granndo, com tradução de texto de Alberto Guiraldelli, a peça tem como protagonista a atriz Marcela Grandolpho, que foi quem viu a peça encenada em uma viagem pela a Europa e resolveu trazê-la para a Cia. do Ator Careca, da qual faz parte toda a equipe. Na peça, a personagem principal é Dijana, uma jovem traficada do Leste Europeu para a Inglaterra, que, para suportar sua rotina de prostituição forçada, ela cria um modo de vida ilusório, no qual ela mesma tenta acreditar, cheio de esperanças, alegrias, expectativas e loucura.

A história é narrada a partir de fragmentos de memória, delírios e desejos da personagem traficada, que passa o tempo procurando meios de juntar o dinheiro que deve ao seu ex-namorado, agora seu cafetão, para se ver livre de sua condição e resgatar seu passaporte. Mas mesmo depois que Dijana consegue o dinheiro necessário para quitar sua dívida, é espancada e foge para a cidade litorânea de Brighton onde acredita que está sua filha e acaba sendo presa e encaminhada a uma prisão para imigrantes ilegais, vítimas de tráfico de seres humanos. 

O espetáculo “Senti um vazio” estreia dia 6 de setembro e fica em cartaz até 13 de outubro, sempre às sextas, às 21h30, sábados, às 21h00 e domingos às 19h00. No elenco, além de Marcela Grandolpho, estão também Alberto Guiraldelli, Karina Zichelle e Fabul Henrique .

A direção
Mônica Granndo – Diretora e atriz formada pela Universidade de Campinas/UNICAMP. Mestre em Comunicação e semiótica pela PUC–São Paulo. Em 2002, fundou A Companhia do Ator Careca e dirigiu, entre outros, os espetáculos: Rosencrantz e Guildenstern Estão Mortos, de Tom Stoppard (2003/2004); O Beijo, de Alberto Guiraldelli (2005); Fracasso, de Alberto Guiraldelli (2006/2007); Algumas Vozes, de Joe Penhall (2008/2009); e Uma Questão de Tempo, dramaturgia de Alberto Guiraldelli (2012). Atuou nos espetáculos Essa Moça (Ligando para Tom Waits, ainda acordado, em Istambul), de Alberto Guiraldelli (2010/2012); e Parlour Song –Tudo Está Desaparecendo, de Jez Butterworth, (2012) ambos com direção de Einat Falbel


Sobre a Companhia do Ator Careca
A Companhia do Ator Careca foi formada em 2002 pela diretora Mônica Granndo, o dramaturgo e ator Alberto Guiraldelli e mais um grupo de jovens atores e criadores das áreas de música, cenografia e artes gráficas que compõe o núcleo estável de criação da companhia. A cia. encenou espetáculos como Rosencrantz e Guildenstern Estão Mortos (2003/2004), de Tom Stoppard, O Beijo (2005), de Alberto Guiraldelli, Algumas Vozes, do dramaturgo inglês Joe Penhall, ESSA MOÇA (Ligando para Tom Waits, ainda acordado, em Istambul) de Alberto Guiraldelli, o grande sucesso a peça Fracasso, Parlour Song – Tudo está Desaparecendo, de Jez Butterworth entre outras.


“SENTI UM VAZIO no começo quando o coração foi embora mas agora está tudo bem”

Texto de Lucy Kirkwood
Direção de Mônica Granndo
Tradução de Alberto Guiraldelli
Elenco: Marcela Grandolpho, Alberto Guiraldelli, Karina Zichelle, Fabul Henrique
Cenografia: Fábio Jerônimo
Figurinos: Jessica Cidrao
Trilha Sonora Original: Reinaldo Guiraldelli
Iluminação: Mônica Granndo
Produção: Companhia do Ator Careca
Duração: 70 minutos
Recomendação: 14 anos
Local: TEATRO AUGUSTA - SALA EXPERIMENTAL – Rua Augusta, 943
De 06 de setembro a 13 de outubro/2013
Sexta às 21h30. Sábado às 21h. Domingo às 19h
Ingressos: R$35,00 (Estudantes, maiores de 60 anos e classe teatral têm 50% de desconto).
Aceita todos os cartões de crédito.
Telefone: (11) 3151-4141
Vendas pelo sistema ingresso rápido pelo telefone 4003-1212 ou site www.ingressorapido.com.br

Não fique à beira da estrada e conheça os 3 problemas mais comuns em viagens de carro

Oficina Brasil faz ranking dos principais problemas e conta o que se deve fazer quando o carro apresentar alguma falha.


A temperatura do motor lá em cima, os pneus com problemas e o freio está esquisito. Conheça os três problemas que mais deixam os motoristas a beira da estrada e acabam com os planos de uma viagem tranquila. Antonio Cesar Costa , consultor técnico da Oficina Brasil – maior rede de franquias de serviços automotivos do Brasil –  montou uma lista com os principais problemas e soluções.

1-    Pneus – Pneus desgastados  com pouca  borracha e  profundidade de sulco , além de diminuir a adesão ao solo,consequentemente diminuindo também a segurança,estão mais sujeitos a penetração de objetos perfurantes, obrigando a paradas para troca de pneus. É bom revisar os pneus antes de enfrentar uma estrada, verificando seu desgaste e profundidade, assim como a calibragem correta, levando-se em conta o peso com o qual se vai viajar. Verificar também o estepe, primeiro para se certificar que ele realmente está onde deveria( existe uma crescente onda de furto de estepes) e segundo verificar se sua calibragem está de acordo (nada mais desagradável do que descobrir que o estepe está “murcho” no meio da estrada).
2-    Arrefecimento- Verificar o nível e a qualidade do liquido do arrefecimento,  também conhecido como “água do radiador”. O sistema de arrefecimento é responsável pela manutenção da temperatura ideal de funcionamento do motor. Caso esse sistema esteja com problemas, durante a viagem, onde o motor atinge altos giros ou mesmo quando enfrentamos um engarrafamento na estrada, pode ocorrer o superaquecimento do motor entrando esse liquido em ebulição - o motor “ferver”. Isso danifica o motor, principalmente o cabeçote  que pode vir a empenar. Nesse caso o prejuízo ao bolso é bem salgado.
3-    Freios- Outro cuidado que o motorista precisa ter antes de pegar uma estrada e que deixa muitos na mão, é o  relacionado ao sistema de freios. Peças desgastadas ou com vazamentos, além de por em risco a segurança, podem causar transtornos durante a viagem, e aquilo que deveria ser só lazer, termina em cima de um guincho. Ao pisar no pedal de freio acionamos as quatro rodas e uma quantidade considerável de peças que precisam estar em boas condições. Se a viagem inclui trechos em serra ou grande declives, o sistema de freios tem uma importância ainda maior e deve ser usado junto com o freio motor (descer com uma marcha engatada). Os problemas mais comuns são o superaquecimento das peças de atrito causando uma fadiga dos materiais e a ebulição do fluido de freios ( quando este está contaminado). Faça sempre a manutenção preventiva do sistema, obedecendo o que é indicado  no manual do proprietário.

De uma forma geral, antes de “pegar” uma estrada é preciso ter a certeza de que o veículo está em boas condições. Para tanto uma visita ao mecânico é sempre aconselhável. Itens como palhetas, lâmpadas, chave de roda, marcador de combustível, itens de sinalização obrigatória como triangulo e pisca alerta além de uma documentação em dia, também devem ser  observados antes da viagem.

segunda-feira, 2 de setembro de 2013

Inscrições curso gratuito de pizzaiolo


Dídio Pizza em parceria com Prefeitura de São Paulo abre novas inscrições para curso gratuito de pizzaiolos

Mais de 850 pizzaiolos já foram formados e as inscrições para o curso de Setembro que acontece no CAT Vila Maria começam nesta quarta-feira, dia 4

Estão abertas as inscrições para mais um curso gratuito de pizzaiolos, que terá início no dia 16 de Setembro em São Paulo. A iniciativa é resultado da parceria entre a Dídio Pizza (rede de pizzarias delivery) e a Semdet (Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e do Trabalho), que já formou mais de 850 pizzaiolos e agora abre mais 50 vagas para a nona turma de 2013. As inscrições vão até o dia 11 de Setembro.

O curso será dividido em duas partes: entre os dias 16 e 19 de Setembro serão ministradas as aulas teóricas na unidade do CAT (Centro de Apoio ao Trabalhador) Vila Maria (Rua General Mendes, 111) das 8h às 17h de segunda a sexta-feira e no dia 20 de Setembro será a vez da aula prática na unidade da Lapa da Dídio Pizza (Rua Tito, 1274).

O curso forma trabalhadores para pizzarias com possibilidade de contratação na própria rede Dídio Pizza. A primeira parte do curso ensina boas práticas de manipulação de alimentos, vigilância sanitária, higiene pessoal e ambiental, controle de pragas, compras, recebimento e armazenamento, além de regras de segurança do trabalho. A segunda parte, já na cozinha da Dídio Pizza, vai levar os alunos que tiverem 100% de assiduidade e aproveitamento na fase teórica para, literalmente, colocar a mão na massa e preparar pizzas variadas, aplicando os conceitos que aprenderam.

Os critérios continuam os mesmo para que o aluno passe para a etapa prática do curso, como:
•    Assiduidade e pontualidade em todos os dias do treinamento teórico;
•    Não possuir experiência anterior em cozinhas de pizzarias;
•    Estar fora do mercado de trabalho;

Segundo a nutricionista responsável pelo curso, Adriana Rios, a formação é completa: “quem fizer o curso vai sair sabendo como deve se portar em uma cozinha profissional de pizzarias”, explica. , para que os jovens possam entrar no mercado de trabalho e conseguir uma vaga em uma das mais de 4 mil pizzarias existentes na cidade de São Paulo, que só perde para Nova Iorque no consumo de pizzas.

A Dídio Pizza possui 20 anos de existência no mercado paulistano e é conhecida pelas pizzas com o dobro de recheio das demais do mercado. Com 23 unidades em funcionamento, a rede agora parte para a abertura de lojas no interior paulista e continua sua expansão em diversos bairros de São Paulo com a venda de franquias. A rede é famosa por oferecer suas pizzas com o dobro de recheio, se comparadas às outras pizzarias, e em sabores inusitados, como a de Abobrinha na massa 100% integral, a de Mousse de Maracujá, além da premiada Marguerita com Pepperone.

O CAT, da Semdet, possui 31 postos (fixos e móveis) onde o cidadão paulistano pode encontrar o emprego que procura. Com o curso da Didio Pizza, o profissional terá um instrumento a mais na hora em que procurar uma oportunidade de trabalho no CAT. Aqueles que se destacaram no curso poderão também ser aproveitados pela própria rede, porém, todos os alunos participantes já saem
treinados para atuar em uma cozinha profissional de pizzarias, aptos a trabalhar em qualquer uma das mais de 4 mil existentes na cidade.

CURSO GRATUITO DE PIZZAIOLOS – Dídio Pizza e CAT (Prefeitura de São Paulo)
Inscrições: do dia 04 ao dia 11/09 – gratuitamente – no próprio CAT Vila Maria, mediante apresentação do RG, CPF, nº do PIS e Carteira de Trabalho.

Setembro: de 16 a 19/09 - parte teórica no CAT Vila Maria (Rua General Mendes, 111) das 8h às 17h de segunda a sexta-feira) e no dia 20/09- parte prática na Dídio Pizza (unidade da Lapa – Rua Tito, 1274)




Franquias para trabalhar em casa crescem no país

Franquias para trabalhar em casa crescem no país, mas é preciso muita dedicação para ter sucesso, dizem os franqueadores

Ganhar dinheiro com uma franquia de baixo investimento e trabalhando em casa parece ser, à primeira vista, um excelente negócio por si só. O investimento é bem inferior aos da maioria das franquias que necessitam de ponto comercial, equipamentos e funcionários e, além disso, não há a necessidade, na maioria delas, de trabalhar aos finais de semana, como numa franquia de varejo de produtos e serviços.

Mas, como todo negócio que depende exclusivamente do dono, mesmo com todo o método e formatação do franqueador, as franquias home based, como são chamados esses tipos de negócio, exigem uma dedicação ainda maior dos franqueados, do que os negócios que possuem vitrines com produtos expostos em locais de grande circulação de pessoas.

O Master Franqueado da ERA – Expense Reduction Analysts, uma franquia de consultoria de redução de custos para empresas, Fernando Macedo, concorda com a afirmação de que as franquias home based não são para qualquer um. “O perfil de nossos franqueados é de pessoas que desejam alcançar uma carreira de sucesso na área de consultoria para empresas. Apesar de tralharem em casa, terão que vestir terno e gravata e agendar reuniões de acordo com os horários dos clientes. Então, apesar das facilidades que terá e custos inferiores a outros investimentos em franquias, é necessário ter muita disciplina para ter sucesso”, afirma o franqueador.

Para o franqueador da BagNews, Salvatore Privitera, uma franquia de publicidade em embalagens ecologicamente corretas, como sacolas, sacos de pão e caixas de pizza, é necessário que o franqueado goste da área de vendas e seja extremamente ativo para conseguir o faturamento esperado. “Nossa franquia não serve para quem deseja trabalhar menos do que trabalhava em outros empregos, ou ainda para quem quer uma atividade extra, como muitas propostas que já recebemos. Ele precisará ter metas e ir atrás dos clientes para alcançar a lucratividade esperada”, explica.

ERA – EXPENSE REDUCTION ANALYSTS (ficha técnica):
Investimento total: R$ 125 mil (já incluída a taxa de franquia)
Taxa de Franquia: R$105 mil
Taxa de Royalties: 18% sobre o faturamento bruto
Taxa de Propaganda: 2% sobre o faturamento bruto
Capital de Giro: não exige
Número de funcionários: não necessita
Faturamento médio mensal: R$ 15 a 20 mil
Tempo de contrato: 10 anos
Informações sobre a franquia: www.expensereduction.com.br

BAGNEWS (ficha técnica)
Investimento total: R$ 25 mil (já incluída a Taxa de Franquia)
Taxa de Franquia: R$ 12 mil
Taxa de Royalties:
Primeiros 3 meses: isenta
Do 4º ao 6º mês: R$ 350,00
Do 7º mês em diante: R$ 600,00
Capital de Giro: R$ 3 mil
Número de funcionários: não necessita
Faturamento médio mensal: R$ 18 mil
Prazo de Retorno do investimento: 12 meses
Tempo de contrato: 5 anos